PME

O franchising é um setor maduro no Brasil?

Especialista afirma que muitas franquias estão no período iniciante do sistema

Feira de Franquias, da ABF (Divulgação)

Feira de Franquias, da ABF (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de março de 2015 às 06h00.

O franchising é um setor maduro no Brasil?
Respondido por Lyana Bittencourt, especialista em franquias

O franchising no Brasil cresceu a taxas bem superiores ao PIB (Produto Interno Bruto), porém não podemos afirmar que é um setor totalmente maduro. Existe ainda um caminho a ser percorrido pelos empresários que atuam com o sistema. Por ser um mercado composto de diferentes segmentos e de perfis distintos de empresas em tamanho, localização e tipos de produtos e serviços que comercializam, existe uma complexidade maior nas análises de maturidade do setor.

Quanto à condução do processo de franquear o negócio, ou seja, de utilizar o sistema de franquias para expansão de suas marcas, a curva de aprendizado dos franqueadores, em alguns segmentos, ainda é pequena. Por outro lado, existem players no mercado que já se encontram em um estágio de maturidade elevada, em que a rede conta com franqueados engajados, rentabilizados e liderando mais de uma unidade.

Em relação à estrutura de gestão, esses players encontram-se num nível considerado de bom para ótimo, com políticas bem definidas e disseminadas em toda a rede. Além de ter um sistema de gestão informatizado e consultorias de campo que lhes permitem avaliar a performance das unidades franqueadas e implementar ações preventivas, o que é essencial no franchising.

Atuar no franchising é desafiador. Os empresários que decidem por esse modelo de expansão devem ter uma visão clara de que terão que contar com o engajamento de seus franqueados, da mesma forma que estes devem contar com o apoio e suporte da franqueadora para que a unidade, sob seu comando, atinja os resultados projetados e que consigam obter retorno do capital investido.

Neste cenário, acreditamos que o mercado de franquias está em desenvolvimento: muitas empresas estão no período iniciante (menos de dois anos no sistema), uma parcela maior está em desenvolvimento e um grupo significativo já se encontra em um estágio maduro e rumo à consolidação.

Ainda temos muito espaço no Brasil para crescer com franquias. O sistema tem contribuído com o desenvolvimento do país e com a maior arrecadação de impostos. Pequenos negócios que atuavam no mercado informal, hoje estão atuando no franchising de forma estruturada. A consequência positiva é que alguns mercados se organizaram a partir do franchising, em especial os negócios de prestação de serviços, que geram conveniência para a população.

O grande desafio do franchising brasileiro é a condição desses empresários de manter a rede competitiva e sobreviver face às intempéries do ambiente econômico do país e das políticas de nosso governo. O sistema cresceu e continuará crescendo, porém a sua consolidação vai depender de algumas trilhas ligadas à gestão, liderança e capacitação, que precisam ser percorridas por todos.

Lyana Bittencourt é sócia e diretora de marketing e desenvolvimento do Grupo Bittencourt.

Acompanhe tudo sobre:dicas-para-seu-negocioFranquiasPequenas empresas

Mais de PME

ROI: o que é o indicador que mede o retorno sobre investimento nas empresas?

Qual é o significado de preço e como adicionar valor em cima de um produto?

O que é CNAE e como identificar o mais adequado para a sua empresa?

Design thinking: o que é a metodologia que coloca o usuário em primeiro lugar

Mais na Exame