Novata no franchising, Ri Happy mira cidades do interior

A marca participa pela primeira vez da ABF Franchising Expo 2013
 (RiHappy/Divulgação)
(RiHappy/Divulgação)
C
Camila LamPublicado em 12/06/2013 às 17:11.

São Paulo – A Ri Happy, rede de varejo de brinquedos, apresenta um novo plano de expansão da marca focado em franquias. A empresa mira cidades com até 300 mil habitantes e a ideia é que, primeiramente, as franquias sejam abertas em shoppings centers.

De acordo com Renato Floh, diretor de expansão e novos negócios da Ri Happy, a ideia é comercializar franquias em cidades de até 300 mil habitantes. “Em cidades a partir de 500 mil habitantes, pode se considerar a hipótese de loja própria”, explica.

A meta para este ano é de inaugurar entre três e seis unidades. Até 2014, a marca pretende abrir 10 unidades franqueadas por ano.

Segundo Floh, um dos principais desafios para a marca hoje é encontrar franqueados com o perfil ideal e com capital para investir em uma franquia. “Tem que ter perfil empreendedor, estar envolvido com o negócio e capital”, conta.

A Ri Happy foi fundada em 1988 e, em março do ano passado, o The Carlyle Group, gestor global de investimentos alternativos, comprou 85% de participação da marca. Três meses depois, a Ri Happy adquiriu a PBKIDS.

Hoje, a Ri Happy conta com 127 unidades e tem cerca de 2,8 mil funcionários. Já a PBKIDS tem 69 franquias.

Valores

O investimento inicial para abrir uma franquia é de 900 mil reais, sendo que o valor da taxa de franquia é de 100 mil reais. O espaço mínimo necessário é de 300 metros quadrados e uma equipe de 10 funcionários.

A taxa de royalties é de 4% do faturamento bruto mensal e a de publicidade é de 1% sobre o mesmo valor. O prazo de retorno do capital investido acontece entre 36 e 48 meses de operação.