Noma, um dos melhores restaurantes do mundo, reabre servindo hambúrguer

Ao retomar as atividades, restaurante dinamarquês fez ajustes no seu negócio para manter clientes e funcionários seguros em meio à pandemia de coronavírus

O restaurante Noma, em Copenhague, Dinamarca, dita tendências. A casa, coordenada pelo chef René Redzepi, chamou a atenção de consumidores e críticos do mundo todo para a culinária nórdica. Em 2010, 2011, 2012 e 2014, o restaurante foi eleito o melhor do mundo pela lista The World’s 50 Best Restaurants e ficou com a vice-liderança em 2019.

Em meados de março, com a chegada do novo coronavírus no país, o restaurante precisou fechar suas portas pedir para seus clientes com reservas até setembro para adiarem seus jantares. Dois meses depois, com a retomada gradual das atividades no país, Redzepi decidiu reabrir a casa em um novo formato: um bar de vinhos e hambúrgueres.

Substituindo o ambiente interno por mesas e cadeiras ao ar livre, o Noma reabriu dia 21 de maio, sem a necessidade de reservas. O menu sofisticado de frutos do mar, que custava cerca de 2.100 reais por pessoa, foi reduzido a duas opções de hambúrguer, uma vegetariana e uma com carne, e vinhos selecionados. Redzepi, em seu perfil pessoal do Instagram, diz que nesta primeira fase de reabertura, o Noma “quer estar aberto a todos”.

No primeiro dia de reabertura, o restaurante vendeu 1.300 hambúrgueres em quatro horas. Pessoas formaram duas filas ao redor do quarteirão do restaurante, uma para entrar e experimentar os novos pratos no jardim, outra para levar os vinhos e hambúrgueres para casa. “A cidade está fervendo, todos os restaurantes da cidade estão lotados”, diz o proprietário em um vídeo no Instagram.

Redzepi também usou seu perfil na rede social para explicar aos seguidores que o Noma está seguindo todas as restrições impostas pelo governo da Dinamarca, como a garantia de um espaço pessoal de dois metros quadrados por pessoa, um espaço de um metro entre mesas e entre clientes nas filas. No país, não há imposição do uso de máscaras de proteção facial. Até o dia 24 de maio, a Dinamarca tinha 11.360 casos confirmados e 562 mortes causadas pela covid-19.

A “temporada de hambúrgueres” deverá ficar aberta por seis ou oito semanas, enquanto as temperaturas altas permitirem que os clientes se sentem ao ar livre. A reabertura do restaurante no modelo tradicional, no entanto, ainda não tem data prevista. A equipe diz que precisa de semanas de preparo para que a cozinha tenha o mesmo nível de excelência de antes da pandemia.

Quando estiver pronto para reabrir o salão, o restaurante afirma que irá entrar em contato diretamente com os clientes que tinham reservas feitas antes do fechamento e com aqueles que compraram vouchers durante a crise para organizar a agenda da casa para os próximos meses.

 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE