• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Iniciativa do Sebrae pretende ajudar 120.000 pequenos negócios a inovar

O Programa Brasil Mais, iniciado em 2020, será expandido no próximo ano e deve ultrapassar a marca de 100.000 empresas atendidas até dezembro de 2022
Inovação: quatro em cada dez micro e pequenas empresas brasileiras inovaram durante a crise (Getty Images/Alistair Berg)
Inovação: quatro em cada dez micro e pequenas empresas brasileiras inovaram durante a crise (Getty Images/Alistair Berg)
Por Carolina IngizzaPublicado em 16/12/2020 15:52 | Última atualização em 18/12/2020 08:29Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Reduzir desperdícios, melhorar a gestão e inovar nos processos. Esse foi o objetivo do programa Brasil Mais ao longo de 2020 para as pequenas empresas. Feito em parceria com o Sebrae, o Ministério da Economia, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Senai, o programa ajudou 9.022 micro e pequenas empresas a inovar ao longo do ano e sobreviver à crise causada pela pandemia. Após o encerramento do primeiro ciclo, a meta agora é chegar a marca de 120.000 empresas beneficiadas até dezembro de 2022.

Na primeira fase, foram selecionados empreendedores que atuam no comércio, serviço e indústria nos estados de São Paulo, Sergipe, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Tocantins. Ao longo de quatro meses, eles foram monitorados por Agentes Locais de Inovação (ALI) treinados pelo Sebrae. Com isso, aprenderam técnicas para inovar.

A empresária de São Luís (MA) Sara Rossetti, dona do Rossetti Buffet, foi uma das empreendedoras que, participando do programa, conseguiram tirar do papel o sonho do e-commerce. “A nossa nova frente de atuação aumentou muito o número de clientes, mesmo durante a pandemia. Hoje, devo ter no mínimo quatro vezes mais clientes que tinha antes”, afirma.

Os resultados gerais do programa são animadores. Pesquisa feita com 972 empresas participantes mostra que 81% delas conseguiram conquistar novos clientes ao longo do programa. Além disso, dois terços conseguiram diminuir os custos da empresa em até 20%.

“Isso é reflexo da prática de escutar o cliente. Sabendo o que as pessoas querem, é mais fácil reformular o negócio e melhorar a oferta de produtos, o que evita desperdícios e atrai mais clientes”, diz o gestor de projetos de inovação do Sebrae, Marcus Vinicius Bezerra.

O novo ciclo do programa começa em março de 2021 e será aberto para empreendedores de todo o país. De acordo com o presidente do Sebrae, Carlos Melles, serão disponibilizadas 22.000 vagas com os 100% dos custos subsidiados pela instituição.

Para o projeto, o Sebrae disponibiliza 1.100 Agentes Locais de Inovação e o Senai, 1.300 consultores especializados, além de equipes de suporte e professores dos cursos de capacitação online e presenciais.

Em um cenário em que o faturamento dos pequenos negócios ainda está 36% abaixo do normal e deve se normalizar somente em abril ou maio, a inovação passa a ser a saída mais promissora.