Faturamento de PMEs no e-commerce supera R$ 1 bilhão em 2021

Nos primeiros seis meses do ano, pequenas e médias empresas ganharam mais do que o dobro faturado em 2020

As pequenas e médias empresas brasileiras faturaram mais de 1 bilhão de reais no e-commerce nos primeiros seis meses do ano, de acordo com um levantamento da Nuvemshop, plataforma de vendas digitais. O valor total é mais do que o dobro alcançado no mesmo período de 2020, quando PMEs faturaram cerca de 428 milhões de reais.

O estudo analisa o montante de recursos movimentados por empresas dentro da plataforma da Nuvemshop. Os bons resultados também podem ser vistos no volume de produtos comercializados no ambiente digital. Segundo o levantamento, os pedidos saltaram de 9,3 milhões no primeiro semestre de 2020 para mais de 20 milhões no mesmo período de 2021.

Ao que parece, o avanço na vacinação e a reabertura de comércios físicos não foram suficientes para desacelerar as vendas digitais, que agora se tornaram uma estratégia de negócios sólida e também a alternativa mais viável para manter pequenos negócios funcionando.

“Além das pessoas que já tinham o hábito de adquirir produtos online, calculamos que mais de 3 milhões de brasileiros compraram pela internet pela primeira vez neste primeiro semestre. Isso comprova que realmente houve uma mudança nos hábitos de consumo e que veio para ficar”, afirma Alejandro Vázquez, CCO e cofundador da Nuvemshop.

De acordo com o estudo, São Paulo manteve a posição como estado com os empreendedores que mais faturam no e-commerce no país. Somente neste primeiro semestre, os pequenos e médios empreendedores da região movimentaram mais de 347,4 milhões de reais. Na sequência estão Minas Gerais com 106 milhões de reais e Rio de Janeiro, com 87,7 milhões de reais.

Segmentos que mais faturaram com o e-commerce em 2021

Setor Faturamento
Moda R$ 342,8 milhões
Saúde & beleza R$ 85,8 milhões
Acessórios R$ 72,3 milhões
Casa & jardim R$ 42,2 milhões
Eletrônicos R$ 27,7 milhões

Setores com maior crescimento nas vendas

Setor Crescimento
Antiguidades 782%
Joias 174%
Brinquedos 127%
Artes & Aartesanatos 126%

Preferência por canais digitais

Na primeira metade do ano, 73% das vendas online foram feitas por celular, enquanto 26% foram realizadas por computadores. O tíquete médio também aumentou: de 213 reais em 2020 para 218 em 2021. “Para o próximo semestre, acreditamos que os números continuarão crescendo, principalmente pelo fato de que teremos datas comerciais que são importantes para o e-commerce, como Black Friday e Natal”, diz Vásquez.

Fique por dentro das principais tendências do empreendedorismo brasileiro. Assine a EXAME.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também