Empreendedor, aprenda a se tornar um líder

Líderes podem ser empreendedores, mas empreendedores não são necessariamente líderes.

	Liderança: nem todo empreendedor é líder; aprenda a desenvolver essa habilidade
 (Thinkstock)
Liderança: nem todo empreendedor é líder; aprenda a desenvolver essa habilidade (Thinkstock)
Por Editado por Mariana DesidérioPublicado em 23/12/2015 11:32 | Última atualização em 23/12/2015 11:32Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Dicas do que um empreendedor deve fazer para desenvolver sua capacidade de liderança
Escrito por Maria Cristina Ortiz de Camargo, especialista em comportamento

Líderes podem ser empreendedores, mas empreendedores não são necessariamente líderes. A vontade de empreender é entendida como um fator motivacional intrínseco que advém de um valor pessoal, cuja importância é sentida de forma diferente pelas pessoas. Isso significa que nem todos pensam ou gostariam de ter um negocio próprio, uma característica marcante em empreendedores.

Por outro lado, a habilidade de liderar está diretamente relacionada ao desenvolvimento de uma competência. Como alinhar então essas duas dimensões da personalidade humana e colocá-las lado a lado para que se complementem, viabilizando assim a realização de negócios inovadores e de sucesso?

A resposta pode ser encontrada quando empreendedores equilibram seu foco de atuação no “o que fazer” e no “como fazer”. A partir do momento em que conseguem associar essas duas ações, as competências de liderança podem ser desenvolvidas. Empreendedores têm sonhos e, a partir deles, criam uma visão de futuro para os negócios, que precisa ser compartilhada com seus colaboradores, gerando motivação.

Inspirar e influenciar o time na busca de resultados deve ser um exercício constante. Barreiras como a ansiedade e a pressa em ver o sonho realizado precisam ser enfrentadas com maturidade, pois são elas as principais responsáveis por negócios que fracassam logo após a sua criação.

Um dos grandes desafios dos empreendedores é ter a consciência de que precisam envolver as pessoas. Que devem abrir espaços para que elas possam ajudá-los a pensar na melhor forma de concretizar suas ideias. Precisam evitar a armadilha do imediatismo e aprender a trabalhar com diferentes perfis, por vezes menos arrojados, porém, mais consistentes que o seus, para que haja um equilíbrio em suas ações. Saber ouvir, ponderar e reavaliar as suas percepções pode evitar o desejo de focar na visão em detrimento da necessidade de enfrentar a realidade.

Empreendedores possuem mentes criativas e espírito inovador. Porém, precisam ser orientados a focar no desenvolvimento de uma estratégia organizacional que garanta a sustentabilidade do negócio. Quando entendem a importância de definir objetivos e metas em conjunto e de forma consensual, propiciam ao time um ambiente de aprendizado e engajamento.

Pessoas não seguem pessoas, mas sim os seus valores, quando esses se alinham aos seus. Compartilhar uma visão de futuro e transformá-la em inspiração é primeiro passo de um empreendedor na árdua, mas gratificante caminhada para se tornar um líder. 

Maria Cristina Ortiz de Camargo é especialista na área comportamental e docente da BSP – Business School São Paulo.