Como atrair investidores usando o plano de negócios

Quase uma carta de apresentação, o plano de negócios precisa ser bem feito para garantir o sucesso da empresa

São Paulo - Ter um bom plano de negócios pode não ser a única razão para os investidores confiarem em uma empresa, mas a falta de um plano pode levá-la ao fracasso. Para ajudar projetos tecnológicos a criar um bom plano de negócios e encaminhá-los a possíveis investidores, a Fundação Getúlio Vargas, em parceria com a Intel e outras empresas, promove o Desafio Brasil de Empreendedorismo, com inscrições abertas até dia 8 de junho.

Segundo o gerente de educação da Intel Brasil, Rubem Paulo Saldanha, muitas pessoas têm conhecimento técnico e boas ideias, mas não costumam ter visão de negócios e acabam ficando longe dos investidores. "O Desafio Brasil serve para desenvolver essa visão empresarial nos start-ups", explica.

O coordenador do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getúlio Vargas, Tales Andreassi, considera que o plano de negócios é como um currículo profissional ou uma carta de apresentação para os investidores. Não basta partir de um modelo pronto, é preciso saber "vender o peixe" para o investidor com elementos diferenciais. Ele lista alguns pontos essenciais para um plano de negócios atraente para os investidores:

- Inovação. É preciso que o plano tenha alguma proposta diferente das outras empresas. Pode ser um produto, processo, serviço, etc, que desperte curiosidade e interesse no investidor.

- Time de gestores competentes. Conheça a experiência da equipe que trabalha com você. Não adianta ter apenas conhecimento técnico. Saiba quais as vivências boas e ruins dos candidatos a trabalhar na empresa e, com base neste histórico, monte uma equipe equilibrada.

- Oportunidade de negócios. "Nas filas de banco ou de supermercado, em todo lugar tem sempre alguém reclamando, alguém que não está sendo bem atendido pelos serviços existentes", diz o professor Andreassi. Ele orienta que é nesse público insatisfeito e nas necessidades ainda não supridas que o negócio deve focar, para que a empresa tenha uma real oportunidade de crescer. É por isso que é preciso ficar atento às mudanças tecnológicas e sociais.

- Potencial de mercado. Nem sempre o mercado que parece ter um número maior de consumidores é o mais rentável. Definir o alvo que se quer atingir é importante para não fazer grandes investimentos em um campo já saturado. Os mercados de nicho, que têm público mais restrito, como o de produtos de luxo, podem ser muito lucrativos se o empreendedor souber lidar com o produto.

- Barrar a entrada de concorrentes. Criar patentes, fazer contratos de exclusividade com fornecedores e ter fórmulas secretas de produtos são algumas das formas de evitar que a concorrência pegue carona no seu sucesso.
 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.