• AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,56 -1.92
  • ABCB4 R$ 16,95 2.05
  • ABEV3 R$ 14,17 -0.35
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,76 0.75
  • AGRO3 R$ 31,12 1.63
  • ALPA4 R$ 21,02 0.38
  • ALSO3 R$ 19,56 1.09
  • ALUP11 R$ 26,53 0.49
  • AMAR3 R$ 2,41 2.55
  • AMBP3 R$ 31,02 -0.55
  • AMER3 R$ 23,14 0.83
  • AMZO34 R$ 67,81 0.19
  • ANIM3 R$ 5,55 0.18
  • ARZZ3 R$ 81,79 -0.07
  • ASAI3 R$ 15,45 0.32
  • AZUL4 R$ 20,97 -1.22
  • B3SA3 R$ 11,66 0.95
  • BBAS3 R$ 35,83 -0.22
  • AALR3 R$ 20,19 0.65
  • AAPL34 R$ 68,56 -1.92
  • ABCB4 R$ 16,95 2.05
  • ABEV3 R$ 14,17 -0.35
  • AERI3 R$ 3,77 -0.26
  • AESB3 R$ 10,76 0.75
  • AGRO3 R$ 31,12 1.63
  • ALPA4 R$ 21,02 0.38
  • ALSO3 R$ 19,56 1.09
  • ALUP11 R$ 26,53 0.49
  • AMAR3 R$ 2,41 2.55
  • AMBP3 R$ 31,02 -0.55
  • AMER3 R$ 23,14 0.83
  • AMZO34 R$ 67,81 0.19
  • ANIM3 R$ 5,55 0.18
  • ARZZ3 R$ 81,79 -0.07
  • ASAI3 R$ 15,45 0.32
  • AZUL4 R$ 20,97 -1.22
  • B3SA3 R$ 11,66 0.95
  • BBAS3 R$ 35,83 -0.22
Abra sua conta no BTG

Cervejaria Devassa é adquirida pela Schincariol

Com apenas sete anos de vida, empresa é vendida por 30 milhões de reais
Macedo, sócio da Devassa: recursos para expandir
Macedo, sócio da Devassa: recursos para expandir
Por Carla AranhaPublicado em 04/03/2011 07:59 | Última atualização em 04/03/2011 07:59Tempo de Leitura: 3 min de leitura
A cervejaria Devassa, criada no Rio de Janeiro no ano 2000, acaba de ser comprada pela Schincariol por 30 milhões de reais. A Schin sai ganhando uma marca premium, reconhecida por consumidores de alto poder aquisitivo e gosto sofisticado. Para a Devassa, a aquisição representa a concretização de um sonho de expansão. "Sabíamos que uma hora ou outra alguém iria nos fazer uma oferta, e foi o que aconteceu", diz Cello Macedo, de 41 anos, sócio do empreendimento. A Schin chegou primeiro e levou a empresa, em uma negociação bastante ágil que durou apenas dois meses.</p>

Com um faturamento anual de 12 milhões de reais, a rede Devassa, com 13 bares no Rio de Janeiro e em São Paulo e uma fábrica no Rio, é uma das marcas mais conhecidas de cerveja e chope artesanal no Brasil - um mercado que representa 2% do volume total de cerveja vendida no país, mas que vem crescendo rapidamente. Os empreendedores que fundaram a Devassa vão continuar gerenciando a marca. "Eu disse aos funcionários que a filha ainda é nossa. A diferença é que ela se casou com um marido rico", diz Macedo. Tanto ele como Marcelo do Rio, de 41 anos, o outro sócio, ocuparão cargos na diretoria.

A Devassa deverá ter liberdade de ação, segundo Macedo. "Vamos manter independência", diz ele. A diferença é que o crescimento da marca, e até a expansão para outros países, agora está garantida. A Devassa vai utilizar as 12 fábricas da Schincariol espalhadas pelo país para produzir o chope e a cerveja da marca. Como a produção é toda artesanal e as bebidas não são pasteurizadas, elas precisam ser fabricadas o mais próximo possível do local onde serão consumidas. Caso contrário, podem estragar.

A marca também pegará carona nos canais de distribuição da Schin. "Sem isso, dificilmente poderíamos crescer muito", afirma Macedo. Está nos planos da empresa levar a Devassa para os mercados americano e europeu a partir de 2009. Além disso, deverão ser abertas franquias no Brasil - começando por Brasília, onde já existem 15 franqueados em potencial.

A empresa ganha ainda fôlego novo para as ações de marketing que sempre foram uma de suas características mais marcantes. No ano passado, a rede lançou, em conjunto com a editora carioca Azougue, uma coleção de livros da literatura erótica. Ações desse tipo ajudam a firmar o nome da marca em um mercado formado por consumidores de bom poder aquisitivo. Daqui para a frente, a empresa deverá dar saltos ainda maiores nessa área. A Devassa pretende criar eventos de música e artes em diversas cidades do Brasil para dar mais visibilidade à marca e associá-la a produções culturais inovadoras.

Veja também:

A entrada num campo dominado