PME

10 termos essenciais para quem vai investir em franquias

Para fazer um bom negócio, o empreendedor deve estar familiarizado com as expressões mais comuns do setor

Shopping da BRMalls, em São Paulo (Germano Lüders/EXAME.com)

Shopping da BRMalls, em São Paulo (Germano Lüders/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de outubro de 2011 às 07h00.

São Paulo – COF, taxa de franquia e prazo de retorno. Os empreendedores que estão pensando em investir em uma franquia precisam conhecer a definição de termos essenciais na hora das negociações, da assinatura do contrato e do começo da operação.

Para não ficar perdido na hora de conversar com as redes, confira a seguir o significado de dez palavras e expressões do universo das franquias. As definições são da especialista Claudia Bittencourt, especialista no assunto e sócia da Bittencourt Consultoria.


1. Taxa de franquia

A taxa de franquia é a primeira taxa cobrada ao franqueado, pelo seu ingresso à rede. Essa taxa remunera a transferência de know-how para o início da operação, treinamento inicial, suporte de implantação e todas as ações do franqueador que estão entre a assinatura do contrato até o começo da operação da franquia.

2. Royalties

Os royalties correspondem ao valor cobrado pela utilização da marca e do know-how enquanto durar a relação contratual entre o franqueado e o franqueador. O pagamento normalmente é mensal e costuma ser uma porcentagem do faturamento bruto da franquia, mas algumas redes cobram valores fixos ou valores embutidos no produto quando o franqueador é o único fornecedor.

3. COF

A Circular de Oferta de Franquias é um documento obrigatório antes de fechar negócio. O franqueado tem dez dias para analisar o conteúdo da COF. Deve conter no documento o histórico da rede, nomes, informações financeiras como balanços, pendências judiciais, visão geral sobre o negócio, deveres do franqueado, investimento inicial, taxas cobradas pela empresa e uma relação completa dos franqueados da rede, inclusive os que se desligaram nos últimos 12 meses.


4. Investimento inicial

Este valor indice o que o candidato a uma franquia vai investir para entrar no negócio até a inauguração, por exemplo: reformas e instalações, máquinas e equipamentos, sistema de gestão, constituição da empresa e papelaria, telefonia, estoque inicial, marketing de inauguração, taxa de franquia e ainda um item que nem sempre é contemplado nas planilhas de investimento inicial que é o capital de giro. Este valor não inclui, porém, o valor do ponto.

5. Prazo de retorno

O cálculo de retorno para o investimento em uma franquia costuma levar em conta a média da rede. Mas não deve ser encarado como uma promessa. A conta leva em consideração o Demonstrativo de Resultado da operação pelo prazo do contrato e o investimento inicial para ver em quanto tempo o franqueado terá retorno. Vale lembrar que ponto comercial é um ativo e, por isso, não entra nesse cálculo.

6. Contrato de franquia

O contrato de franquia é o documento que sela definitivamente a relação entre franqueado e franqueador, portanto, as informações devem estar dispostas de maneira clara, para que não existam dúvidas nos direitos e obrigações de cada um. Certifique-se de que o contrato traz dados completos, como nomes e representantes legais, definição de território, quais marcas poderão ser usadas, remunerações e taxas, prazos e condições de renovação.


7. Manual de franquia

O manual de franquia é a ferramenta que representa a transferência de conhecimento do franqueador para o franqueado e deve retratar fielmente a realidade. O empreendedor costuma receber orientações em quatro manuais. O manual de implantação deve especificar o que será gasto entre a assinatura do contrato e o início da operação. O manual de administração e controle serve para orientação na gestão da franquia. O manual de marketing e vendas, como o próprio nome diz, guiará o franqueado para realizar a divulgação da franquia. Já no manual de operação estarão detalhados os produtos.

8. Território da franquia

Algumas redes determinam o território onde apenas um franqueado pode operar. Esta delimitação pode ser realizada com base em ferramentas de geografia de mercado ou outras ferramentas técnicas, que levam em conta informações sobre o potencial de consumo de cada município, por exemplo. Quando a franqueadora achar que a região comporta mais uma unidade, o franqueado que já está instalado tem preferência para investir na nova operação.

9. Taxa de propaganda

A taxa de propaganda, também conhecida como taxa de marketing, é a contribuição do franqueado para o marketing institucional e outras ações que favoreçam toda a rede. Assim como os royalties, essa taxa costuma ser cobrada sobre uma porcentagem de faturamento ou valor fixo mensal.

10. Microfranquia

Esta é uma modalidade de franquia que cresceu muito nos últimos anos. São empreendimentos de baixo investimento e baixo custo operacional, mas bastante rentáveis. Geralmente, essas franquias têm investimento inicial de até 50 mil reais e retorno do investimento em até 12 meses.

Acompanhe tudo sobre:dicas-para-seu-negocioEmpreendedoresEmpreendedorismoFranquiasMicrofranquiasPequenas empresas

Mais de PME

ROI: o que é o indicador que mede o retorno sobre investimento nas empresas?

Qual é o significado de preço e como adicionar valor em cima de um produto?

O que é CNAE e como identificar o mais adequado para a sua empresa?

Design thinking: o que é a metodologia que coloca o usuário em primeiro lugar

Mais na Exame