Future of Money
Acompanhe:

Banco Central adia início da implementação do Open Banking para 2021

Em conjunto com o CMN, Banco Central altera cronograma de implementação do Open Banking no país; Fase 1 será iniciada em fevereiro

 (IAM-photography/Getty Images)

(IAM-photography/Getty Images)

G
Gabriel Rubinsteinn

27 de novembro de 2020, 16h46

O Banco Central do Brasil (BC) e o Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciaram, na tarde desta sexta-feira (27), o adiamento da implementação do Open Banking no país. Agora, o início da implementação do Sistema Financeiro Aberto, como é chamado pela instituição, passa de 30 de novembro de 2020 para 1º de fevereiro de 2021.

"Com os esforços necessários para o combate à pandemia da Covid-19, o BC e o CMN entenderam que foram impactados os processos de trabalho nas instituições participantes do Open Banking, e que também foi levada em consideração a necessidade de adaptação de sistemas das instituições em razão de outras ações regulatórias, a exemplo do Pix e de registro de recebíveis de cartão", afirmou o Banco Central, em comunicado.

Depois de implementado, o Open Banking vai dar aos clientes de instituições financeiras do Brasil, o controle sobre seus dados cadastrais e de transações. Isso tem como objetivo fomentar a concorrência e o acesso a serviços financeiros.

Atualmente, apenas os bancos nos quais o consumidor possui conta têm acesso a tais informações. Caso opte pelo compartilhamento dos seus dados, o consumidor poderá acessar serviços de bancos e instituições financeiras das quais não é cliente e aos quais, portanto, não tem acesso.

Esse aumento da concorrência permitirá não apenas a personalização de produtos e serviços como tende a aumentar a competitividade entre as empresas, reduzindo custos.

No início desta semana, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, havia refutado a possibilidade do adiamento. Apesar de ter afirmado, em entrevista, que a Fase 1 do projeto "teve uma exaustão do processo tecnológico em alguns bancos", Campos Neto complementou, dizendo: "Estamos trabalhando para ver como isso se resolve, mas, independentemente do que aconteça na primeira fase ou na segunda, nós não mudamos o cronograma do open banking, ele vai ficar pronto no mesmo dia".

O projeto do Open Banking no Brasil é dividido em quatro fases. Além da mudança de datas para a primeira fase, a Fase 2 do projeto passou de 31 de maio para 15 de julho de 2021, enquanto a terceira permaneceu a mesma, com previsão de implementação até 30 de agosto do ano que vem. O adiamento das Fases 1 e 2, claro, também atrasam a conclusão do processo de implementação do sistema — a sua Fase 4 — que passa de 25 de outubro para 15 de dezembro de 2021. "Mesmo com o ajuste no cronograma, a conclusão do processo de implementação do Open Banking, dividido em 4 fases, ocorrerá em 2021", garante o BC.

A decisão foi tomada em decisão conjunta do BC com o CMN e oficializada com a edição da Resolução Conjunta nº 2/2020, com a alteração do cronograma do projeto. A Resolução original havia sido publicada em maio de 2020.

Últimas Notícias

ver mais
Open banking agora será open finance, declara BC
PIX e open banking

Open banking agora será open finance, declara BC

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking
seloMinhas Finanças

BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Pix ganha prêmio internacional de inovação em meios de pagamento
PIX e open banking

Pix ganha prêmio internacional de inovação em meios de pagamento

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?
PIX e open banking

Seis meses de Pix: como avançamos e quais são os próximos passos?

Há menos de um minuto • 1 min de leitura
icon

Brands

ver mais

Uma palavra dos nossos parceiros

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais