Whirlpool diz que corte ocorreu pela não reposição de vagas

A dona das marcas Brastemp e Consul disse que readequou quadro de pessoal na ordem de 3 ml colaboradores pela não reposição de vagas em aberto

	Whirpool: "a Whirlpool reforça sua confiança no Brasil e o contínuo investimento no país", diz nota
 (Germano Lüders/EXAME.com)
Whirpool: "a Whirlpool reforça sua confiança no Brasil e o contínuo investimento no país", diz nota (Germano Lüders/EXAME.com)
Por Danielle ChavesPublicado em 29/04/2015 17:24 | Última atualização em 29/04/2015 17:24Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - A Whirlpool, dona das marcas Brastemp e Consul no Brasil, informou nesta quarta-feira, 29, que readequou seu quadro de pessoal nos últimos meses na ordem de 3 mil colaboradores, mas destacou que essa redução foi feita, basicamente, pela não reposição de vagas em aberto e não por meio da demissão de 3 mil funcionários.

"A Whirlpool reforça sua confiança no Brasil e o contínuo investimento no país", declarou a empresa em nota.

O anúncio da readequação foi feito ontem pelo executivo-chefe Jeff Fettig, após a empresa ter seu resultado global afetado pela forte queda na demanda brasileira por eletrodomésticos, assim como pela desvalorização do real.

O Brasil é historicamente um dos principais mercados para a companhia, respondendo por mais de 10% das vendas globais no ano passado.