"Varig" da Itapemirim terminará hoje (15) testes para voar no Brasil

Companhia aérea está na última fase de certificação da Anac para realizar voo comerciais

O Grupo Itapemirim já namora o setor da aviação há mais de um ano. Mas só hoje (15) terminará a fase de testes da ITA Transportes Aéreos para obter o Certificado de Operador Aeronáutico (COA) junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), obrigatório para operar comercialmente. Somente nesta quinta-feira, estão programados cinco trechos de Guarulhos (SP) até São José dos Campos (SP).

Por enquanto, há apenas uma aeronave operando no Brasil: um Airbus A320-200 com matrícula PS-SPJ, uma referência ao nome de Sidnei Piva de Jesus, presidente do grupo. Antes de estrear por aqui, o jato serviu à espanhola Spanair até 2012, quando declarou falência, e depois voou pela conterrânea Vueling até ser retirado de operação durante a pandemia, por conta da baixa demanda.

As empresas do futuro estão aqui. Conheça os melhores investimentos em ESG na EXAME Invest Pro

"Chegamos à etapa final para a concretização da companhia aérea e estamos muito felizes com tudo o que conquistamos até aqui. Completaremos nosso cronograma para obtermos as certificações junto à Anac dentro do prazo planejado”, afirma Piva. De acordo com o executivo, a Itapemirim deixará de ser uma empresa de ônibus para ser uma empresa de conexão de pessoas e de modais.

Confira a agenda de voos para o último dia de testes

Voo IPM9010
Decola: Guarulhos (10h);
Pousa: Galeão (10h50).

Voo IPM9011
Decola: Galeão (12h35);
Pousa: Guarulhos (13h25).

Voo IPM9012
Decola: Guarulhos (14h30);
Pousa: Confins (15h30).

Voo IPM9013
Decola: Confins (17h50);
Pousa: Guarulhos (18h50).

Voo IPM9014
Decola: Guarulhos (horário não confirmado);
Pousa: São José dos Campos (20h00).

Além desta, a segunda aeronave está em trânsito rumo ao país, com chegada prevista para os próximos dias. Fabricadas em 2005, ambas foram obtidas por meio de leasing – novas, teriam preço estimado de 100 milhões de dólares. E, até agosto, a empresa promete completar a frota de dez aviões. Todos serão da família A320ceo, de geração anterior, também utilizada pela Latam no Brasil.

Por ora, a companhia não divulga posicionamento de preços, classes tarifárias, serviços e rotas. Porém, a expectativa é de que a ITA Linhas Aéreas ofereça mais espaço aos passageiros, com configuração de 162 assentos (como na extinta Avianca Brasil), e atendimento de bordo com direito a happy hour. Também é especulada a possibilidade de classe executiva, inclusive para voos domésticos.

Essa será a terceira aproximação do Grupo Itapemirim – que existe há 67 anos – com a aviação. Durante os anos 1990, a empresa operou uma divisão de carga com jatos Boeing 727. Em 2017, foi a vez de tentar comprar a Passaredo (rebatizada como Voepass em 2019), mas não deu certo. Agora, o plano é integrar os voos com os ônibus para conseguir chegar a 2.700 cidades no território nacional.

“Conectividade aérea será essencial para ampliar a ligação aos principais destinos nacionais e favorecer a recuperação do turismo no cenário pós-pandemia”, diz Gilson Machado Neto, ministro do Turismo, no encontro com diretores do Grupo Itapemirim, além de Carlos Brito, presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) e do senador Ciro Nogueira (PI).

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.