United Airlines divulga balanço e mostra se reabertura ajudou aéreas

Depois de os prejuízos da Delta somarem 11 bilhões de reais no segundo e terceiro trimestres, os investidores buscam sinais de melhora

A companhia aérea United Airlines, terceira maior dos Estados Unidos, divulga depois do fechamento do mercado nesta quarta-feira, 14, o balanço do terceiro trimestre deste ano e deve mostrar como a pandemia do novo coronavírus continua fazendo sangrar o setor.

Ontem, a Delta, líder do mercado americano, divulgou seu balanço relativo ao período de julho a setembro deste ano. Seu prejuízo atingiu 5,4 bilhões de dólares – em 2019, havia registrado um lucro de 1,5 bilhão de dólares. Somando o montante do segundo trimestre, as perdas da Delta com a covid-19 chegam a 11 bilhões de dólares. As receitas caíram 76% entre o terceiro trimestre de 2019 e o de 2020, para 3,06 bilhões de dólares. O presidente da empresa, Ed Bastian, disse que o faturamento não deve voltar ao nível anterior à crise até 2022.

Para a United, a expectativa não é melhor. O consenso do mercado estima uma redução de 78% nas receitas entre o terceiro trimestre de 2019 e o de 2020, para 2,54 bilhões de dólares. O prejuízo por ação nesse intervalo deve ficar em 7,72 dólares – no ano passado, o lucro ficou em 4,07 dólares. Em três meses, a previsão foi elevada em 1,83 dólar, mostrando como os investidores continuam pessimistas com o setor.

No terceiro trimestre, boa parte da economia dos EUA já estava em processo avançado de reabertura, e os viajantes começavam a voltar aos aeroportos. Em algumas regiões, porém, novos casos da doença interromperam a fraca recuperação da demanda. O número de passageiros transportados em julho ficou em 21,4 milhões, uma alta de 30% em relação a junho. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, no entanto, a queda foi de 73%, segundo dados preliminares do Departamento de Estatísticas de Transporte.

Nesse cenário ainda desalentador, o mercado vai procurar no balanço da United algum motivo para otimismo. A companhia aérea reduziu sua capacidade de operação e acabou de anunciar a demissão de 16.370 funcionários. O corte de despesas está sendo feito desde o início da pandemia, e, se os seus efeitos estiverem começando a aparecer no balanço, os investidores podem ter alguma perspectiva de melhora do negócio.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.