Troca de experiências por produtos beneficia varejistas dos EUA

O gasto médio de famílias nos Estados Unidos nesta temporada de festas deve cair 7% em relação a 2019, com queda de 34% dos gastos com viagens

Entradas para concertos dentro da meia de Natal e um roteiro de viagem debaixo da árvore? De forma alguma: estamos em 2020 e produtos estão outra vez na moda. Embora gastos com experiências tenham sido moda nos últimos anos - o que levou vários varejistas a repensarem estratégias de negócios -, a Covid-19 interrompeu a tendência, confirmam dados da pesquisa de temporada de Natal da Deloitte.

O gasto médio de famílias nos Estados Unidos nesta temporada de festas deve cair 7% em relação a 2019, com queda de 34% dos gastos com viagens, que responderão pela maior parte da baixa, de acordo com Rod Sides, vice-presidente da Deloitte. Parte do dinheiro normalmente gasto fora de casa irá para compras que não sejam presentes, como móveis e decoração de temporada.

“Estamos vendo uma mudança em termos do que as pessoas estão comprando”, disse Sides. “As pessoas estão focadas no lar e um pouco mais em decoração. As viagens não ocupam o mesmo lugar do passado.”

A menor preferência por experiências ao longo da temporada é uma boa notícia para empresas como a varejista Bed Bath & Beyond, que divulgou recuperação das vendas neste verão, à medida que consumidores estocavam itens para casa. Pode até dar impulso para as lanterninhas do varejo, como Gap e TJX Cos., dona da Marshalls, que tiveram mais problemas para atrair clientes confinados em casa, que estão substituindo o guarda-roupa com muito menos frequência neste ano.

A mudança já era aparente nas vendas do varejo de setembro divulgadas na sexta-feira, que subiram no ritmo mais rápido em três meses. O ganho generalizado provavelmente reflete consumidores que aproveitaram economias e fundos de benefícios extras temporários de auxílio-desemprego, além do atraso nas compras de volta às aulas.

“Com menos gastos em serviços pessoais, como viagens e entretenimento fora de casa, parte desse dinheiro está sendo transferido para caixas registradoras de varejo”, disse o economista-chefe da Federação Nacional de Varejo, Jack Kleinhenz, em comunicado.

--Com a colaboração de Jordyn Holman.

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.