Negócios

Toyota suspende operações em suas fábricas no Japão devido a uma falha no sistema

Problema não afetou cadeia de produção em outras unidades da empresa no mundo

Toyota: grupo decidiu interromper as operações nas duas fábricas que ainda estavam ativas (Aly Song/Reuters)

Toyota: grupo decidiu interromper as operações nas duas fábricas que ainda estavam ativas (Aly Song/Reuters)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 29 de agosto de 2023 às 07h45.

A Toyota anunciou, nesta terça-feira, 29, que suspendeu as operações nas suas 14 fábricas no Japão devido a uma falha de sistema.

A empresa explicou que a falha impediu o sistema de informática de processar encomendas de peças, o que levou a suspender as atividades, inicialmente, em 12 das suas fábricas, afetando 25 linhas de produção.

Posteriormente, o grupo decidiu interromper as operações nas duas fábricas que ainda estavam ativas. A paralisação afetou, então, 28 linhas produtivas.

A falha diz respeito apenas às fábricas japonesas do grupo, e não às instalações de produção no exterior, disse a Toyota.

- No momento, acreditamos que não se trata de um ataque cibernético - disse uma porta-voz da Toyota.

Semicondutores

Depois de ter sido atingida no ano passado por interrupções na cadeia de abastecimento e escassez de semicondutores, a produção global da Toyota aumentou significativamente desde o início deste ano.

A produção global da empresa ultrapassou os 5,6 milhões de veículos nos primeiros seis meses de 2023, um aumento de 10,3% face ao mesmo período do ano anterior, e um recorde semestral para o grupo, segundo números publicados no final de julho.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo em primeira mão. Inscreva-se no Telegram da Exame

Acompanhe tudo sobre:ToyotaJapãoFábricas

Mais de Negócios

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Mais na Exame