Toyota aceitará milho e soja para pagamento de Corolla Cross, Hilux e SW4

Programa prevê aumento de participação de clientes do agronegócio, que já representam 16% das vendas diretas
 (Toyota/Divulgação)
(Toyota/Divulgação)
G
Gabriel Aguiar

Publicado em 05/08/2021 às 18:14.

Última atualização em 05/08/2021 às 20:02.

Seguindo os passos de Fiat e Jeep, os interessados na Toyota Hilux — e também nos SUVs Corolla Cross e SW4 — poderão pagar pelos carros com grãos de milho e soja. Essa estratégia é pensada para potenciais clientes que vêm do agronegócio e que já representam cerca de 16% das vendas diretas da empresa. Por enquanto, o programa é válido para Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí e Tocantins.

“O Toyota Barter teve início como um projeto piloto em 2019, portanto, é o primeiro canal de vendas do Brasil a aceitar grãos na compra de um carro. Agora, temos a oportunidade de oficializar esta facilidade e expandir a presença da marca e contribuir de maneira importante para esse que é um dos principais setores econômicos do Brasil”, diz José Luis Rincon Bruno, gerente de vendas diretas da Toyota.

Toyota Hilux

Grãos: o SW4 também faz parte dos modelos que podem ser comprados (Toyota/Divulgação)

Para participar, será necessário comprovar a regularidade da produção (inclusive tributária) e mostrar as certificações ambientais que confirmem o plantio sustentável. Afinal, o fabricante revelou a intenção de ser ambientalmente neutro até 2050. E, para definir os valores da permuta, será considerado o preço de mercado para a saca — como é chamada a unidade de medida de peso para leguminosas e cereais.

Toyota Corolla Cross

Novidade: o modelo mais recente da marca foi incluído no Toyota Barter (Toyota/Divulgação)

De acordo com a Toyota, foram criadas equipes especializadas nas concessionárias que já participam do programa. E, por ora, o fabricante já estuda a expansão da modalidade para outros estados brasileiros, como Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo — que também concentram parte relevante da produção agropecuária no país. Entretanto, não foi revelada a data para inclusão desses novos mercados.