Tesla anuncia primeiro lucro anual de sua história

Mesmo diante da crise gerada pela pandemia de covid-19, a montadora de Elon Musk conseguiu lucrar em meio ao crescimento da demanda por carros elétricos
Modelo da Tesla: expansão das vendas mesmo na pandemia (Kim Kyung-Hoon/Reuters)
Modelo da Tesla: expansão das vendas mesmo na pandemia (Kim Kyung-Hoon/Reuters)
J
Juliana Estigarribia

Publicado em 27/01/2021 às 19:25.

Última atualização em 27/01/2021 às 20:59.

Mesmo diante da queda drástica das vendas de veículos no mundo, em meio à pandemia de covid-19, a montadora de carros elétricos Tesla conseguiu encerrar o ano fiscal com lucro líquido pela primeira vez na história. O feito reforça a tendência de expansão desse mercado e fortalece a marca, que vende exclusivamente modelos zero emissões.

Segundo o balanço divulgado no início da noite desta quarta-feira, 27, o lucro líquido da companhia foi de 721 milhões de dólares, ante prejuízo de 862 milhões em 2019.

A receita líquida total da companhia, em 2020, alcançou 31,53 bilhões de dólares, alta de 28% sobre o ano anterior.

"Continuamos melhorando nossos produtos e fazendo progressos de longo prazo. Seguimos escalando o Model 3 na China para mais de 5.000 unidades por semana. Também começamos a produção do Model Y na gigafábrica de Xangai", disse a Tesla em relatório financeiro.

A rentabilidade melhorou no ano devido ao ganho de escala, informou a montadora, principalmente com o início da produção na China.

A montadora da Califórnia entregou 499.550 unidades no ano passado, mesmo diante dos efeitos da pandemia na economia global. No período, a companhia produziu 509.737 unidades.

"Embora 2020 tenha sido um ano crítico para a Tesla, acreditamos que 2021 vai ser ainda mais importante", disse a empresa no relatório.

Somente no quarto trimestre, a receita da montadora atingiu 10,7 bilhões de dólares, em linha com as estimativas de analistas de Wall Street.

Ainda de acordo com a companhia, a fábrica de Freemont, na Califórnia, vem se preparando para o lançamento dos novos Model S e Model X. As atualizações contemplam mudanças no interior, exterior e powertrain.

Já a gigafábrica da China tem demonstrado capacidade para produzir 250.000 unidades por ano. "Começamos a exportar de Xangai para vários países da Europa, Ásia e Pacífico, o que tem ajudado a fábrica de Freemont a surprir estes mercados", disse a empresa.

Projeções

Para os próximos anos, a Tesla espera elevar em 50% a capacidade de produção global, com o crescimento anual dependendo da eficiência operacional da empresa e da cadeia de suprimentos.

A montadora também espera elevar as margens operacionais, com os ganhos de escala das novas fábricas.