TelexFREE pedirá ajuda de empresa caso fracasse na Justiça

Companhia já solicitou sub-rogação para que outra empresa quite suas dívidas com divulgadores na possibilidade de derrota nos tribunais
Carlos Costa, da TelexFREE: a  companhia sub-rogada compraria do divulgador o potencial direito que ele viria a ter nessa causa caso a empresa perca (Reprodução da web)
Carlos Costa, da TelexFREE: a companhia sub-rogada compraria do divulgador o potencial direito que ele viria a ter nessa causa caso a empresa perca (Reprodução da web)
D
Daniela BarbosaPublicado em 09/12/2013 às 18:57.

São Paulo – Em mais um de seus vídeos postados na internet, Carlos Costa, diretor de marketing da TelexFREE, admitiu a possibilidade de a empresa perder na Justiça o processo que enfrenta há quase seis meses. A companhia é investigada pelo Ministério Público do Acre por operar por meio de pirâmide financeira.

Costa afirmou que a TelexFREE pedirá na Justiça o processo chamado de sub-rogação,  que garante que os divulgadores que tiveram prejuízo no negócio sejam ressarcidos por uma empresa terceira, o empresário não revelou o nome do possível sócio. A companhia sub-rogada compraria do divulgador o potencial direito que ele viria a ter nessa causa caso a empresa perca, afirmou.

Segundo ele, todos os divulgadores que não tiveram o retorno dos investimentos feitos na companhia poderão ser beneficiados com o possível ressarcimento. Assim como eu, sei que todos querem trabalhar, então não sei se posso chamar isso de benefício, disse Costa.

O levantamento de quem seriam esses divulgadores já está sendo feito pela TelexFREE e nos próximos dias eles devem ser contatados, afirmou o empresário.

Pirâmide?

Em junho deste ano, o Ministério Público do Acre abriu um processo administrativo contra a empresa TelexFREE por indícios de formação de pirâmide financeira.

De acordo com o MP, a empresa estaria ofendendo alguns princípios básicos do Código de Defesa do Consumidor, como o dever de transparência e boa-fé nas relações de consumo, além de veiculação de publicidade enganosa e abusiva.  A TelexFREE está com as atividades suspensas por decisão judicial, mas se defende das acusações.

Segundo o site companhia, a TelexFREE brasileira é uma representante da empresa americana homônima que atua no mercado há 10 anos, e em março de 2012 entrou no Brasil com um plano de divulgação onde o colaborador é pago para divulgar a empresa. O principal produto dos anúncios divulgados é o sistema de comunicação VoIP - que não tem autorização para operar, segundo a Anatel.

//www.youtube.com/embed/IAQIiqWBDbs