South Summit Brasil: festival inaugura nova era para eventos de inovação

Pela primeira vez no Brasil, evento europeu chega a Porto Alegre com a expectativa de reunir 15 mil pessoas, representantes de 76 países e 89 fundos de investimento ao longo de três dias
South Summit: evento em Porto Alegre acontece entre os dias 4 e 6 de maio (South Summit/Divulgação)
South Summit: evento em Porto Alegre acontece entre os dias 4 e 6 de maio (South Summit/Divulgação)
Por Maria Clara DiasPublicado em 04/05/2022 06:00 | Última atualização em 04/05/2022 15:20Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Começa nesta quarta-feira, 4, o South Summit Brasil, evento de inovação e empreendedorismo sediado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Essa é a primeira vez em que o evento global desembarca no Brasil, inaugurando uma era para os festivais de inovação, já populares em países como Estados Unidos, China, Portugal e Espanha — sede do evento original.

A chegada do South Summit a terras brasileiras simboliza um esforço de grandes players em unir diferentes pólos de inovação na América Latina, com foco especial para o Brasil, terra natal de diferentes iniciativas e ao menos 22 unicórnios.

Propor uma nova maneira de fazer negócios e “colocar o Brasil no mapa mundial da inovação” são as intenções centrais do evento. “A gente almeja ser o lugar mais desejado para alguém de inovação estar presente”, disse Marta Del Castillo , CEO do South Summit, em entrevista exclusiva à EXAME em março deste ano.

Para isso, as atenções estarão voltadas a encontros entre representantes de 76 países. A expectativa dos organizadores é de reunir pelo menos 3.000 pessoas, entre grandes corporações, lideranças de fundos como Softbank, Redpoint e.ventures, General Atlantic e fundadores de unicórnios como Ebanx e Contabilizei.

VEJA TAMBÉM

CEO do South Summit: O mundo quer conhecer startups do Brasil

O que esperar do South Summit Brasil

Um dos impactos esperados para a edição é a formatação da ideia de Porto Alegre como um centro de inovação pujante. Seria um efeito cascata do que aconteceu em Madrid, cidade onde o festival nasceu há 10 anos. De início, a capital não era reconhecida como uma cidade boa para startups. Hoje em dia, é tida por muitos fundos de investimento como o principal lugar para fazer negócios de tecnologia na Europa.

Agora, a intenção é exportar o modelo que deu certo em Madri para outros países. Porto Alegre tem lá sua representação no ecossistema de inovação da região Sul do país, segunda principal para startups em número de empresas fundadas. Assim como Curitiba, capital do Paraná famosa por ser berço de unicórnios como Olist, Ebanx e MadeiraMadeira, a cidade sulista tem interesse em atrair um número crescente de olhares e dar mais visibilidade para os negócios de tecnologia lá criados.

Trata-se de um esforço que vai além da iniciativa privada. No South Summit de Porto Alegre, a prefeitura e o governo estadual foram importantes viabilizadores.

"O propósito do South Summit é promover transformação econômica e social por meio da inovação e tecnologia. O evento deve receber mais de 15 mil pessoas nos 3 dias e estamos muito animados para as conexões que ele deve promover. Além disso, vamos oferecer uma programação variada, com conteúdo de alta qualidade para nossos visitantes e convidados, agregando startups e empresas", diz José Renato Hopf, presidente do South Summit Brasil.

Programação do evento

Durante os três dias de conferência, haverá mais de 400 palestrantes nacionais e internacionais, divididos em cinco palcos e oito trilhas de conteúdo – Agritech & Healthcare, Industry 5.0, Fintech, Retailtech, Foodtech, Sustentability & ESG, Society, Innovation and Ecosystem – num espaço de 12.000 metros quadrados. Além das palestras, haverá também competição de startups com 50 diferentes empresas, sendo 17 gaúchas.

As empresas irão apresentar seus modelos de negócio e ter contato direto com quase 90 fundos de investimento que, juntos, possuem uma carteira de 62 bilhões de dólares na América Latina. Entre os representantes brasileiros estão VOX Capital, Iporanga Ventures, Maya Capital e BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da EXAME).

Em dez anos da competição na Espanha, 25.000 startups participaram e US$8,9 bilhões já foram investidos em finalistas, dos quais seis projetos se tornaram unicórnios e outros 46 foram vendidos.