Pedidos de recuperação judicial batem recorde no 1º semestre

Pedidos de recuperação judicial subiram 87% entre janeiro e junho, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Serasa Experian

São Paulo - Os pedidos de recuperação judicial dispararam 87,6% de janeiro a junho deste ano, ante igual intervalo de 2015, e atingiram o nível recorde de 923 ocorrências, segundo pesquisa da Serasa Experian.

Considerando apenas o mês de junho, houve alta de 60% na comparação anual, para 168 pedidos. Em junho ante maio, houve queda de 8,7%.

De acordo com os economistas da Serasa, o recorde histórico atingido pelos pedidos de recuperação judicial neste primeiro semestre de 2016 revela a gravidade da atual crise econômica.

"A combinação dos juros altos com a prolongada recessão impõe sérias dificuldades financeiras para as empresas, levando-as a se utilizarem do mecanismo da recuperação judicial como forma de se preservar da insolvência", diz a empresa por meio de nota.

No acumulado dos seis primeiros meses do ano, as micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial, com 535 casos, seguidas pelas médias (246) e pelas grandes empresas (142).

No caso das falências, houve elevação 8,9% no período de janeiro a junho, com 869 pedidos. Considerando apenas junho, foram registrados 195 requerimentos, alta de 22,6% em relação ao mesmo mês de 2015 e avanço de 29,1% na comparação com maio deste ano.

Do total de requerimentos de falência efetuados até agora neste ano, 451 foram de micro e pequenas empresas, 211 foram de médias e 207 de grandes empresas.

O indicador da Serasa é construído a partir do levantamento mensal das estatísticas de falências (requeridas e decretadas) e das recuperações judiciais e extrajudiciais registradas mensalmente na base de dados da empresa, provenientes dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos Estados.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.