Negócios

Senior Sistemas faz a sua segunda aquisição do ano e paga R$ 50 milhões pela GAtec

A GAtec, de Piracicaba, oferece softwares para gestão agroindustrial, apoiando produtores rurais e agroindústrias

Alencar Berwanger, diretor de novos negócios e relações com investidores, Carlênio Castelo Branco, CEO, e Carlos Valle, diretor de desenvolvimento: a empresa fechou com uma receita líquida de R$ 835,4 milhões (Senior Sistemas/Divulgação)

Alencar Berwanger, diretor de novos negócios e relações com investidores, Carlênio Castelo Branco, CEO, e Carlos Valle, diretor de desenvolvimento: a empresa fechou com uma receita líquida de R$ 835,4 milhões (Senior Sistemas/Divulgação)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 3 de julho de 2024 às 09h46.

Última atualização em 3 de julho de 2024 às 19h08.

A empresa de tecnologia Senior Sistemas, uma das maiores fabricantes de softwares de gestão no país, anuncia nesta quarta-feira, 3, a aquisição da GAtec, de Piracicaba, no interior de São Paulo, num movimento para ampliar a atuação no mercado de software para a gestão de agronegócio. 

A compra de 100% da operação foi fechada no valor de R$ 49,8 milhões e prevê o pagamento de parcela variável do preço de compra em 2027, de acordo com a performance do negócio.

Com 23 anos de mercado, a GAtec oferece softwares para gestão agroindustrial, apoiando produtores rurais e agroindústrias no planejamento, plantio, colheita, beneficiamento e negociação das safras. A empresa atende cerca de 300 clientes em diferentes países e conta com um time de 200 colaboradores. Em 2023, fechou com uma receita líquida de R$ 34,5 milhões, alcançando um crescimento médio de 22% nos últimos 5 anos.

A retomada do apetite 

Essa é a segunda aquisição da Senior Sistemas no ano. Em maio, a empresa tinha comunicado ao mercado a compra da JobConvo, HR Tech especialista em software para gestão dos processos de Recrutamento & Seleção.

As transações marcam o retorno mais ativo às compras, uma estratégia que a empresa de Blumenau, em Santa Catarina, tem adotado como um norteadores para ganhar mercado, em setores estratégicos, como logística, agronegócio, construção e manufatura. 

Desde 2011, a Senior adquiriu cerca de 30 empresas. Nos últimos dois anos, porém, o ritmo de novas entrantes no portfólio tinha ficado mais lento, com uma compra por ano - a Globaltech, de construção civil, em 2022, e a Konviva, uma edtech, em 2023. Para efeito de comparação, a empresa realizou 4 aquisições em 2021. 

A explicação estava na preparação da companhia para abrir o capital em 2022, o que acabou por não acontecer. A Senior registrou o pedido junto à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em fevereiro daquele ano, mas desistiu meses depois diante de um mercado mais restritivo. 

Enquanto a abertura do mercado de IPOs não aparece no radar, as novas movimentações mostram que a empresa quer alcançar uma meta perseguida a anos: superar a receita de R$ 1 bilhão. 

Em 2023, a empresa fechou com uma receita líquida de R$ 835,4 milhões, 16,3% maior do que em 2022. O lucro líquido ficou em R$ 176,2 milhões, alta de 30,2%, na mesma comparação.

Com um caixa líquido de R$ 187,0 milhões em dezembro passado, a Senior está pondo em prática o que os administradores da companhia escreveram no último balanço. “encerramos o ano bem capitalizados, o que nos permite aproveitar as oportunidades oriundas do nosso pipeline de M&A, mantendo a contribuição do crescimento inorgânico para a expansão dos negócios da Senior”.

Acompanhe tudo sobre:empresas-de-tecnologiaSoftwareAgronegócio

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame