Salto em lucro do Barclays não minimiza debate sobre banco de investimento

Lucro antes de impostos foi de 1,9 bilhão de libras (2,5 bilhões de dólares) para o trimestre de abril a junho, ante 659 milhões de libras no ano anterior

Londres - O lucro do Barclays antes de impostos quase triplicou no segundo trimestre com a ausência de pagamentos pesados por problemas legais, mas a instituição britânica enfrenta mais perguntas sobre o papel do banco de investimento em sua estratégia.

O Barclays informou lucro antes de impostos de 1,9 bilhão de libras (2,5 bilhões de dólares) para o trimestre de abril a junho, ante 659 milhões de libras no ano anterior e superior à média de 1,46 bilhão de libras em estimativas de analistas compiladas pelo banco.

A melhora da lucratividade mostra que anos de reestruturação estão começando a dar frutos para o Barclays, um dos cinco grandes que dominam o setor bancário na Grã-Bretanha.

Mas uma pequena melhora no lucro do seu banco de investimentos trouxe de volta ao foco o desempenho dessa parte do negócio após questões levantadas pelo investidor ativista Edward Bramson.

"É o primeiro trimestre por algum tempo, sem nenhum litígio significativo ou acusações de conduta, custos de reestruturação ou outras despesas excepcionais que afetaram a lucratividade", disse presidente-executivo da empresa, Jes Staley, em comunicado.

O lucro no banco de investimento aumentou apenas 1 por cento no primeiro semestre de 2018, em grande parte devido ao desempenho superior da divisão de ações, onde as receitas aumentaram 30 por cento, impulsionadas por fortes vendas de produtos derivativos.

"Se você pudesse investir no Barclays excluindo o banco de investimento, seria um grande investimento. Infelizmente você não pode --e agora parece que 2018 está caminhando para ser outro ano de começo forte seguido por fraco segundo semestre", disse o analista Edward Firth, da corretora KBW.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.