Negócios

Sadia perde cerca de R$ 2,5 bi com câmbio em 2008, diz Brascan

Empresa continuou a desmontar contratos de derivativos e reduziu posição vendida em dólar nos últimos meses

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h40.

A Sadia deve ter registrado uma perda financeira de cerca de 2,5 bilhões de reais no ano passado principalmente devido a apostas em derivativos de câmbio, segundo estimativa da corretora Brascan. O montante seria bem superior ao inicialmente divulgado pela empresa em setembro de 2008: 760 milhões de reais. A própria empresa já divulgou que suas perdas seriam bem maiores que o inicialmente divulgado, mas o prejuízo total só será conhecido quando todos os contratos de câmbio tiverem sido desmontados.

No terceiro trimestre, as perdas financeiras da Sadia somaram 1,2 bilhão de reais. O último balanço divulgado pela empresa mostra que ao final de setembro a exposição líquida a contratos futuros de dólar totalizava 2,4 bilhões de reais. Isso equivale a 10 meses de exportação da Sadia e, portanto, fica acima do teto de seis meses estabelecido em estatuo para o hedge de suas operações de comércio exterior.

Desde então, a Sadia tem reduzido gradativamente essa exposição. A empresa informou que no último dia 19 a exposição líquida era de 487 milhões de reais. Para a Brascan, o vencimento de alguns contratos e o aumento das posições compradas em dólar permitiram a redução da exposição à variação da moeda americana.

O custo dessa operações, entretanto, foi alto. A Brascan acredita que o caixa da Sadia encolheu de 2,3 bilhões de reais ao final de setembro para 1 bilhão de reais agora. Por enquanto, essa redução de 1,3 bilhão de reais será apenas contábil, já que será lançada no balanço da Sadia no balanço do quarto trimestre (ainda não-divulgado), mas os contratos serão efetivamente liquidados durante o ano de 2009.

A dívida líquida da Sadia deve ter encerrado o ano passado em 4,7 bilhões de reais, equivalente a 3,9 vezes seu Ebitda (lucro antes de impostos e amortizações). Em geral, empresas cuja dívida supera 2,5 vezes o Ebitda não são consideradas grau de investimento. Apesar do alto endividamento, a Brascan estima que a Sadia invista 550 milhões de reais em 2009 para a conclusão dos projetos em andamento. Trata-se de uma forte redução dos investimentos se comparado ao montante estimado para 2008 (1,6 bilhão de reais).

Vendas

Em relatório, a Brascan estima que as exportações da Sadia tenham um crescimento de 5,2% em 2009. Após um fraco primeiro trimestre, as vendas ao exterior cresceriam gradativamente. A margem Ebtida da empresa ficaria praticamente estável em 11,2%, já que a queda internacional do preço dos grãos verificada desde o ano passado será revertida ao longo de 2009 com a seca na região Sul e na Argentina.

Com base nesses números, a Brascan reduziu o preço-alvo das ações preferenciais da Sadia (SDIA4) de 11 reais para 5,10 reais. Os papéis fecharam cotados a 3,26 reais nesta segunda-feira, uma baixa de 2,69%. Apesar do potencial de alta de 56,4%, a Brascan acredita que as ações terão um desempenho dentro da média da Bovespa até o final de 2009 (marketperform).

Acompanhe tudo sobre:[]

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame