• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,7080 +0,0272
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.845,20 +0,00%
  • Prata 25,55 +0,00%
  • Platina 1.219,30 +0,00%

LAFIS: Conjuntura do setor de aço mostra queda na produção e perspectivas são ambíguas

SÃO PAULO, 21 de janeiro de 2020 /PRNewswire/ -- Ao longo de 2019, o setor siderúrgico apresentou, em todos os segmentos, redução do volume de produção em relação ao ano anterior. Considerando dados dos últimos 12 meses até novembro 2019, a produção de aço bruto recuou 8,5%, de aços longos 3,6% e aços planos 7,14%.

Levando em consideração o volume de produção dos últimos 10 anos, nota-se que a produção siderúrgica manteve, em 2019, um patamar de produção relativamente baixo, em linha com o ritmo da atividade econômica e com as dificuldades apresentadas pelos setores demandantes de aço.

Neste sentido, a produção de aços longos, que tem como importante destino de seus produtos o setor da construção civil, apresentou a maior redução em relação aos recordes de produção, com volume atual 25% inferior aos recordes históricos.

Ainda em relação ao segmento de aços longos, a Lafis considera que, diante da retomada do mercado imobiliário, mas ainda sem grandes recuperações no segmento de grandes obras de infraestrutura, o segmento tenha potencial de mostrar melhores resultados em 2019, mas ainda aquém do volume de produção observado antes da recessão econômica brasileira.

No segmento de aços planos, o maior nível de crescimento econômico esperado para 2020 pode contribuir para a demanda por bens de consumo duráveis que utilizam aço, tais como produtos da linha branca e automóveis, além de outros produtos, como, por exemplo, embalagens de aço. No entanto, os efeitos da crise econômica na Argentina e seu impacto nos embarques de produtos nacionais para o país vizinho deve ser considerado na análise setorial, podendo contrabalancear o crescimento moderado esperado para atividade econômica interna.

Especialista Responsável:  Marcel Tau

Graduação em Ciências Econômicas pela Fundação Álvares Penteado (FECAP). Iniciou as atividades na Lafis em 2011, onde é responsável pelo acompanhamento dos setores da industra de base, infraestrutura e construção.

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br
Stefany Conessa – stefany.conessa@lafis.com.br
(11) 3257-2952

FONTE Lafis