• BVSP 125.530,01 pts -0,6%
  • USD R$ 5,0619 -0,0544
  • EUR R$ 6,0157 -0,0449
  • ABEV3 R$ 17,05 -1,62%
  • BBAS3 R$ 32,36 -1,64%
  • BBDC4 R$ 24,66 -1,00%
  • BRFS3 R$ 26,14 -1,13%
  • BRKM3 R$ 59,51 +0,69%
  • BRML3 R$ 10,46 +2,05%
  • CSAN3 R$ 26,52 -1,12%
  • ELET3 R$ 42,28 -0,98%
  • EMBR3 R$ 19,37 +0,00%
  • Petróleo US$ 74,78 +1,23%
  • Ouro US$ 1.835,80 +1,73%
  • Prata US$ 25,23 +0,00%
  • Platina US$ 1.068,00 +0,99%

Ilana Trombka trabalha para o fim do assédio moral e sexual no Senado

BRASÍLIA, Brasil, 30 de agosto de 2019 /PRNewswire/ -- Diretora-geral do Senado, Ilana Trombka trabalha para melhorar ambiente de trabalho e superar o assédio moral

"Parece uma palavra maldita [o assédio], e as pessoas preferem nem falar, como se assim significasse que não existe", avalia a diretora-geral do Senado Federal, Ilana Trombka. Por isso, a Casa lançou, neste ano, uma cartilha sobre assédio moral e sexual.

"A gente conseguiu regulamentar o combate ao assédio no Senado através de um ato do primeiro-secretário e hoje isso está normatizado. Agora, estamos fazendo um trabalho de educação, com a divulgação da cartilha", explica Ilana Trombka. Para ela, a cultura do Brasil é marcada "pela diversidade e, no meio disso, há uma certa flexibilidade que está muito linear do assédio".

Diretoria-geral do Senado desde 2015, Ilama Trombka é uma das idealizadoras da cartilha, cuja segunda fase foi iniciada em março deste ano. Com o nome "Senado, ambiente livre de qualquer tipo de assédio", a primeira ação teve o objetivo de esclarecer quais situações podem ser consideradas assédio. Agora, é ideia é explicar os trâmites internos para apuração das denúncias.

"Essa campanha veio para prevenir qualquer tipo de assédio e educar para construir ambientes livres de assédio. A segunda etapa tem um toque mais visual. Os totens (em tamanho real) terão colegas de todos os vínculos mostrando cartazes sobre o tema. O Senado dispõe de profissionais que estão aptos para receber qualquer tipo de denúncia", afirma Ilana Trombka.

A cartilha está disponível no site do Senado Federal, por meio do link www.senado.leg.br. Na avaliação de Ilana Trombka, para além da Casa, é importante que outras pessoas tenham acesso ao conteúdo. "Colocando no caldeirão, a cultura machista e permissiva, ainda de uma herança escravocrata, refletiu na organização do mercado de trabalho brasileiro. Esse caldo cultural dá muito trabalho para tentar definir claramente o que é assédio", diz.

Ilana Trombka esclarece ainda que "quando é um caso acintoso, fica mais fácil, mas a verdade é que na rotina diária, em geral, não são tão acintosos". Por isso mesmo, a Casa promoveu a campanha envolvendo colaboradores dos mais diversos perfis e vínculos profissionais. "O Senado está se transformando numa Casa livre de qualquer tipo de assédio. Queremos ser o melhor lugar para o servidor do Senado, para o terceirizado, para o estagiário, para o menor aprendiz", aponta a diretora-geral do Senado.

Telefone: + 55 61 98122-4444  

FONTE Ilana Trombka