Os Termos de Uso e Condições de Uso e o Termo de Privacidade para utilização deste site foram atualizados. Nós nos preocupamos com a sua privacidade e segurança de dados.
  • Ibovespa 116.800,99 -1,3%
  • Dólar 5,4556 +0,1047
  • Euro 6,6430 +0,1323
  • Ambev 15,16 -2,88%
  • Banco do Brasil 33,55 -1,84%
  • Bradesco 25,13 -1,37%
  • BRF 20,24 +0,95%
  • Braskem 24,1 -2,94%
  • BR Malls 9,14 -2,45%
  • B2W 89,39 -0,45%
  • Cosan 75,62 -2,58%
  • Eletrobras 29,52 -5,69%
  • Embraer 8,54 -3,83%
  • Petróleo 55,37 -1,14%
  • Ouro 1.854,50 -0,82%
  • Prata 25,58 -1,63%
  • Platina 1.112,10 -2,11%

Atlas Governance inicia 2020 como líder de mercado no Brasil, com mais de 100 clientes e expectativa de vendas de R$ 10 milhões

Segurança, usabilidade e atendimento próximo ao cliente foram fundamentais na conquista de organizações que buscam mais transparência e melhor governança

SÃO PAULO, 21 de janeiro de 2020 /PRNewswire/ — Os players internacionais não foram barreira para a Atlas Governance, portal de governança, chegar, em apenas dois anos, à liderança no Brasil. Com mais de 100 clientes, 3.000 usuários e receita anual recorrente de R$ 3,5 milhões, a expectativa é conquistar 300 novos clientes em 2020, chegando a uma receita anual recorrente R$ 13,5 milhões. A empresa quer digitalizar o mercado de governança, que tem capacidade de movimentar R$ 1 bilhão ao ano.

Focada na transformação digital de conselhos e comitês, a Atlas tem em seu portfólio organizações de capital aberto, fechado, familiares e públicas, além de entidades sem fins lucrativos e cooperativas. Entre os principais clientes estão CEMIG, CVC, Shopping Iguatemi, Direcional, Cyrela, CCR, Usina Belo Monte, Randon, SABESP e Riachuelo.

“Em um ano, saímos de 14 contratos para mais de 100, e de 350 usuários para mais de 3.000”, destaca Eduardo Shakir Carone, CEO e fundador. Os bons números têm como pilares uma plataforma de ultima geração, e a um atendimento humanizado e próximo ao cliente. “Hoje governança é uma demanda de mercado, independente do formato da organização, e tornar a governança segura e digital deixou de ser uma opção”. Mas a simplicidade de uso se torna fundamental, uma vez que parte do público de conselheiros e membros de comitês conduziu historicamente sua governança sem uso de tecnologia. “Se não for simples, não funciona. Um conselheiro precisa conseguir obter todos os materiais de sua reunião apertando um único botão”, acrescenta Carone.

Ao longo de 2020 serão investidos cerca de R$ 2 milhões em desenvolvimento, com foco em segurança e Inteligência Artificial.

Como parte do crescimento e expansão da empresa, a partir do segundo semestre a Atlas deve iniciar o processo de internacionalização. A expectativa é estar presente na Argentina, Chile, Colômbia e México, com atendimento local em cada um desses países. “Com isso, teremos capacidade de triplicar o potencial da empresa”, finaliza.

A Atlas Governance tem entre seus investidores e advisors Leonardo Pereira (ex-presidente da CVM), Wilson Amaral (ex-CEO da Gafisa), Paulo Camargo (CEO do McDonalds) e Diego Stark (Managing Director do fundo Southern Cross).

Para maiores informações
https://welcome.atlasgov.com
imprensa@atlasgov.com

FONTE Atlas Governance

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.