Receita do Mercado Livre cresce 63% no 2º trimestre

Grupo de e-commerce manteve o ritmo de expansão de vendas em seu portal de comércio eletrônico e da unidade Mercado Pago

São Paulo — O Mercado Livre teve forte alta das receitas no segundo trimestre, à medida que manteve o ritmo de expansão de vendas em seu portal de comércio eletrônico e da unidade Mercado Pago.

Maior grupo integrado de comércio eletrônico e de serviços financeiros da América Latina, o Mercado Livre anunciou nesta quarta-feira que teve receita líquida de 545,2 milhões de dólares no período, alta ano a ano de 62,6% em dólar. A operação no Brasil respondeu por 55% da receita, 302 milhões de dólares, crescimento de 64%.

O grupo, com sede na Argentina, teve lucro líquido de 16,2 milhões de dólares de abril a junho, ante prejuízo de 11 milhões em igual etapa de 2018.

As receitas do marketplace aumentaram 84% e o volume de vendas medido pelo GMV subiu 8,4%, a 3,4 bilhões de dólares, desacelerando em relação ao ano anterior, após a companhia ter lançado no Brasil uma taxa fixa de 5 reais para itens abaixo de 120 reais e a exclusão de anúncios abaixo de 6 reais.

A aceleração das receitas acontece em meio à forte movimentação da companhia para ampliar sua eficiência logística, movimento que está sendo acompanhando por outras empresas de varejo no Brasil.

O Mercado Livre está investindo boa parte dos 3 bilhões de reais previstos para o Brasil em 2019 em logística como parte do plano de fazer ao menos metade de suas entregas em até 48 horas. O grupo está abrindo três novos centros de distribuição neste ano, na Argentina, no Brasil e no México.

Em São Paulo e na Cidade do México, o Mercado Livre começou a operar um sistema próprio da chamada última milha, para entrega direta das encomendas aos clientes.

"É um trabalho muito complexo de logística para reduzir os prazos de entrega; estamos confiantes de que vamos conseguir", disse à Reuters Stelleo Tolda, vice-presidente executivo do Mercado Livre para a América Latina.

As demais receitas do grupo tiveram crescimento de 43%. Na divisão de serviços financeiros Mercado Pago, o volume de pagamentos foi de 6,5 bilhões de dólares, alta ano a ano de 47%. O total de transações cresceu 112,5%, a 181,6 milhões. O volume de pagamentos fora da plataforma subiu 121,5%, a 3,1 bilhões de dólares. Em junho, o volume de pagamentos fora do Mercado Livre superou o valor transacionado dentro dela.

No fim do período, a companhia tinha quase 3 milhões de terminais de pagamentos ativos, considerados os que processaram ao menos uma transação nos últimos 12 meses.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também