Quer comprar um Playstation 5? Talvez tenha que esperar até 2022

Executivo diz que estoque do console pode não ser suficiente; nova versão pode surgir com mudanças

Você pode até tentar comprar um Playstation 5, só que dificilmente conseguirá até o ano que vem. Isso porque o estoque de 14,8 milhões de unidades poderá ser insuficiente para os próximos meses – quem afirma é Hiroki Totoki, diretor financeiro da Sony, à Bloomberg. E a culpada é da falta dos componentes eletrônicos que também parou fábricas de automóveis por aqui.

Apresentado há seis meses, o fabricante já tinha problemas para atender a demanda pelo console desde antes do agravamento da escassez de peças. Tanto que o próprio diretor executivo da Sony Interactive Entertainment, Jim Ryan, comentou em entrevistas a possibilidade de aumentar a produção. Também é possível a terceirização de fornecedores e a mudança do projeto.

As melhores oportunidades podem estar nas empresas que fazem a diferença no mundo. Veja como com a EXAME Invest Pro

Foram vendidas 7,8 milhões de unidades desde o lançamento até março deste ano – sendo 3,3 milhões de unidades em 2021. Com isso, o modelo superou o Playstation 4, que, no mesmo período à época da apresentação, teve 7,6 milhões de unidades comercializadas. E o resultado foi o lucro recorde de 342,2 bilhões de ienes (cerca de 16,4 bilhões de reais) ao fim do ano fiscal.

De acordo com o site DigiTimes, o Playstation 5 poderá ganhar uma nova versão com processador de 6 nm personalizado da AMD. Mas é pouco provável que haja mudanças no desenho, a exemplo de opções menores lançadas no passado, já que o foco do fabricante será atualizar o hardware – os componentes físicos do console. E, por ora, a previsão é que apareça em 2022.

Por aqui, o videogame tem preço sugerido de 4.199 reais, enquanto, nos Estados Unidos, parte dos 399 dólares na versão digital, equivalente a 2.086 reais – mesmo na versão mais cara, com leitor de disco, sai a 499 dólares, o que dá 2.609 reais na conversão direta. E, no Brasil, há relatos de varejistas com preços ainda mais altos, como a Amazon, que anunciou por 6.499 reais.

O fabricante diz que o preço do console continua igual. Porém, houve reajuste na assinatura do serviço Playstation Plus, que permite disputar partidas online, receber descontos e novos jogos. Sendo assim, o usuário poderá pagar até 34% mais, dependendo do plano: mensal, 34,90 reais; trimestral, 84,90 reais; e anual, de 199,90 reais (eram 25,90; 64,90; 149,90, respectivamente).

Procurada por EXAME, a empresa afirma que a alteração dos valores se deve às “condições de mercado” e que essa mudança foi necessária para continuar fornecendo o serviço com os padrões atuais. E, frente à cobrança no mercado norte-americano, os brasileiros têm vantagem, já que, por lá, o plano anual sai a 60 dólares, equivalente a pouco mais de 310 reais na conversão atual.

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também