Qatar Airways pede indenização de US$5 bi a países vizinhos por bloqueio

Em 2017, Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos e Bahrein romperam suas relações com o Catar, acusado de apoiar movimentos islâmicos radicais
A companhia quer essas "compensações" após ter sido excluída do mercado de países vizinhos (Elman Omic/Anadolu Agency/Getty Images)
A companhia quer essas "compensações" após ter sido excluída do mercado de países vizinhos (Elman Omic/Anadolu Agency/Getty Images)
A
AFP

Publicado em 22/07/2020 às 11:16.

Última atualização em 22/07/2020 às 11:17.

A Qatar Airways reivindicou, nesta quarta-feira (22), uma indenização de US 5 bilhões aos vizinhos Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito por terem proibido o acesso a seu espaço aéreo.

Em um comunicado, a companhia disse que quer essas "compensações" por terem excluído a Qatar Airways de seus mercados e impedir que usasse seus espaços aéreos.

Em 5 de junho de 2017, Arábia Saudita, Egito, Emirados Árabes Unidos e Bahrein romperam suas relações com o Catar, acusado de apoiar movimentos islâmicos radicais e de estar muito próximo do Irã, rival regional de Riade. Doha rejeita essas acusações.

Estes quatro países proibiram as aeronaves do Catar de sobrevoarem seu espaço aéreo e seus aeroportos, romperam suas relações comerciais e marítimas e fecharam suas fronteiras.

Na semana passada, a Corte Internacional de Justiça (CIJ), o mais alto órgão judicial da ONU, decidiu a favor do Catar e considerou que a Organização Internacional de Aviação Civil (OACI) é legalmente competente para resolver um conflito a pedido de Doha.

O Catar acusa seus vizinhos de violarem um acordo que regula a liberdade de circulação dos aviões comerciais.