Negócios

Produtos asiáticos de skincare estimulam vendas globais

A busca por produtos e tratamentos para melhorar a qualidade da pele aumentou nos últimos anos devido à forte influência das redes sociais e da mídia

Cosméticos: Uma das razões para o crescimento do mercado de skincare é a mudança do comportamento dos consumidores em relação à beleza e ao autocuidado (Guido Mieth/Getty Images)

Cosméticos: Uma das razões para o crescimento do mercado de skincare é a mudança do comportamento dos consumidores em relação à beleza e ao autocuidado (Guido Mieth/Getty Images)

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 18 de julho de 2023 às 18h40.

A China é atualmente omaior mercado de cuidados com a pele e o segundo maior mercado de produtos de beleza do mundo. Juntos, esses dois setores têm um valor de US$ 49 bilhões e, de acordo com a previsão do Goldman Sachs, espera-se que esse número triplique até 2025.

A busca por produtos e tratamentos para melhorar a qualidade da pele aumentou nos últimos anos devido à forte influência das redes sociais e da mídia. Celebridades e influenciadores digitais começaram a apresentar suas rotinas de cuidados com a pele e a recomendar produtos específicos, criando uma demanda por esses artigos entre os consumidores.

Uma das razões para o crescimento do mercado de skincare é a mudança do comportamento dos consumidores em relação à beleza e ao autocuidado. Atualmente, na China, há uma maior conscientização sobre a importância de cuidar da saúde da pele não apenas por razões estéticas, mas também pelo bem-estar.

Geração Z e o mercado de skincare nacional da China

Segundo dados da CBNdata, em 2021, mais de 40% dos consumidores chineses da Geração Z, optaram por incluir produtos de empresas locais em suas rotinas de cuidados com a pele. Essa preferência impulsionou o sucesso de três marcas chinesas, posicionando-as entre as dez mais vendidas no país durante aquele ano.

Esse movimento se deve ao Guochao, um conceito que refere-se ao crescente orgulho que a geração chinesa mais jovem sente em relação ao “Made in China”. Esse conceito foi abraçado pelas marcas de C-Beuty que, por meio da incorporação de elementos da cultura chinesa, sejam eles ancestrais, tradicionais ou futuristas, criaram designs de suas embalagens e produtos voltados para essa nova tendência.

O estudo realizado pela rede China Business também apresentou dados sobre o crescente interesse dessa nova geração em relação à saúde da pele. Cerca de 28% dos jovens nascidos após o ano 2000 já estão utilizando produtos antienvelhecimento, enquanto 60% das pessoas com idades entre 20 e 30 anos estão começando a sentir a pressão do envelhecimento.

Outra tendência importante no setor de cosméticos de skincare é a busca por produtos naturais e orgânicos. Os consumidores estão se preocupando mais com a segurança e a sustentabilidade dos ingredientes utilizados em produtos de cuidados com a pele e estão buscando opções mais naturais e livres de produtos químicos agressivos.

Por conta disso, existe uma ampla variedade de produtos, desde os mais básicos como demaquilantes, hidratantes, tônico facial, sabonetes e protetores solares, até produtos mais avançados, como séruns, máscaras, tratamentos antienvelhecimento e muito mais. Além do crescimento de várias marcas que oferecem opções de preços, desde produtos acessíveis até marcas de C-Beauty de luxo.

Acompanhe tudo sobre:ChinaCosméticosindustria-de-cosmeticos

Mais de Negócios

No lugar do call center, IA que cobra dívidas fecha mais de R$ 54 milhões em acordos em três meses

De olho na Agenda 2030, a Cedro Participações avança em seus compromissos ESG

Destruída pelas águas, indústria de vidros do RS vai se reerguer em novo local — agora, longe do rio

Criada na Bayer e investida da Yara, Bravium e Itaú BBA, essa startup quer ser o marketplace do agro

Mais na Exame