Primeira da família a concluir os estudos, imigrante mexicana fundou empresa de US$ 2 bilhões

Shadiah Sigala, uma imigrante mexicana que reside nos Estados Unidos, já fundou duas startups bem-sucedidas — uma delas avaliada em mais de US$ 2 bilhões
Shadiah Sigala: imigrante e primeira a concluir a faculdade em sua família, ela fundou as empresas Kinside e HoneyBook (HoneyBook/Reprodução)
Shadiah Sigala: imigrante e primeira a concluir a faculdade em sua família, ela fundou as empresas Kinside e HoneyBook (HoneyBook/Reprodução)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 11/10/2022 às 15:03.

Última atualização em 11/10/2022 às 15:05.

Conciliar o cuidado com os filhos e rotinas de trabalho intensas é um velho dilema concedido por muitos trabalhadores em todo o mundo. O problema impactou diretamente a empreendedora Shadiah Sigala, uma mãe e empresária nos Estados Unidos.

Inspirada pela própria realidade, Sigala criou a Kinside, uma empresa que auxilia famílias na busca e reserva de vagas em creches, um serviço que passa a ser oferecido como benefício corporativo em diferentes empresas. A proposta é ajudar pais ávidos por uma posição para seus flhos pequenos em escolas próximas ao trabalho e, ao mesmo tempo, dar a empresas a chance de criar novos incentivos para retenção e atração de talentos nas companhias.

A ideia já rendeu à Sigala alguns milhões de dólares. A Kinside arrecadou US$ 1,3 milhão em 2018, US$ 4 milhões em 2019 e US$ 12 milhões em janeiro deste ano.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

A trajetória

Sigala é uma imigrante mexicana que cresceu em um bairro da classe trabalhadora desde o sete anos de idade quando sua mãe, uma também imigrante, mudou-se com ela e seus dois irmãos para o estado da Califórnia. Filha de uma mãe solteira, ela sempre viu de perto os esforços de sua mãe para manter a família.

Mesmo em um bairro carente e com difícil acesso à educação, Sigala decidiu se dedicar aos estudos, sendo a primeira de sua família a cursar a faculdade após anos sendo reconhecida como aluna honrada no ensino médio. “Meu sonho número 1 na vida era ser a pessoa mais educada possível”, disse ela à CNBC. “Minha mãe e todas as minhas tias e tios nunca foram para a faculdade”.

Com a ajuda de um orientador escolar, ela ingressou na faculdade e cursou Artes Liberais. Anos depois, concluiu um mestrado em Políticas Públicas.

"Eu tenho uma experiência de imigrante de primeira geração de ir 'do trapo à riqueza'. Enquanto isso é uma história adorável para contar, é também uma estrada esburacada de perto. Aprendi persistência e garra desde que era uma garotinha. Acontece que essas características fazem um excelente empreendedor", disse Sigala, em entrevista à revista Forbes.

Outras empresas

A busca pessoal por uma creche para sua filha não foi a única inspiração para a criação da Kinside. Antes do negócio, Sigala já liderava uma outra startup, também fundada por ela: a HoneyBook. A empresa, na época, estava sedenta por inovações na construção de sua própria política empresarial e cultura, o que levou a empreendedora a olhar com mais atenção ao valor gerado com a oferta do benefício de creches como mecanismo de atração de funcionários.

A HoneyBook, uma plataforma de gestão financeira para pequenas empresas, já foi avaliada em mais de US$ 2 bilhões. Mas Sigala deixou o comando da empresa para se dedicar exclusivamente à Kinside.

Em janeiro de 2020, quando recebeu um investimento de US$ 4 milhões, a Kinside estava pronta para escalar. A pandemia, como pode-se imaginar, abalou esse plano.

A resposta foi aproveitar o tempo com as escolas (e empresas) fechadas para usar o capital de investidores na melhoria do produto e da tecnologia. "Usamos nosso financiamento para dobrar a melhoria do produto, serviço e fluxo de trabalho, para que estivéssemos prontos quando todas as famílias nos Estados Unidos precisassem de cuidados infantis novamente”, disse Sigala ao Inc.

O resultado esteve no crescimento acelerado da empresa que em janeiro de 2022 captou mais US$ 12 milhões.

Veja Também

Glaucia Guarcello: A ambidestria será a nova gestão
Um conteúdo Bússola
Há 5 dias • 3 min de leitura

Glaucia Guarcello: A ambidestria será a nova gestão

Ainda há lugar ao sol para mais fintechs?
Um conteúdo Bússola
Há uma semana • 6 min de leitura

Ainda há lugar ao sol para mais fintechs?