Negócios

Presidente da Celg diz que edital de privatização sairá logo

De acordo com Zaidan, há um "bom número" de interessados no negócio. Segundo ele, o valor estimado da companhia está em R$ 2,8 bilhões


	Eduardo Braga: o ministro de Minas e Energia delegou ao BNDES a competência para executar o processo licitatório da Celg Distribuição
 (Antonio Cruz/ABr)

Eduardo Braga: o ministro de Minas e Energia delegou ao BNDES a competência para executar o processo licitatório da Celg Distribuição (Antonio Cruz/ABr)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de fevereiro de 2016 às 16h44.

Brasília - O presidente da Companhia Energética de Goiás (Celg), Sinval Zaidan, afirmou nesta segunda-feira, 15, que o edital de privatização da estatal deve sair até o final deste mês, com previsão de leilão já no mês de março.

Hoje, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, delegou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a competência para executar o processo licitatório da Celg Distribuição.

A empresa é controlada pela Eletrobras, com aproximadamente 51% de participação, e pela CelgPar, do governo do Estado de Goiás, com 49%.

De acordo com Zaidan, há um "bom número" de interessados no negócio. Segundo ele, o valor estimado da companhia está em R$ 2,8 bilhões.

O comprador terá que assumir ainda um montante de dívidas de aproximadamente R$ 2,5 bilhões.

O presidente ressaltou que o BNDES vai tomar conta da licitação, mas não estão programados financiamentos pelo banco de fomento.

"Os compradores têm que achar outros financiamentos de outros bancos", disse, antes de uma reunião com Eduardo Braga.

Zaidan afirmou que entrou para a companhia com o objetivo de prepará-la para a venda, algo que já fez em sete outras empresas. "Seis sucessos e um insucesso", afirmou.

Ele espera um ágio no leilão, defendendo que a companhia é muito boa, arrecada 100% do que fatura e tem baixas taxas de perdas com os chamados "gatos".

O presidente ressaltou que a venda será feita porque para os atuais acionistas a dívida é impagável.

Acompanhe tudo sobre:BNDESCelgEmpresasEmpresas estataisEstatais brasileirasPrivatização

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame