Por causa da pandemia, Renault tem prejuízo histórico de 8 bilhões de euros em 2020

A queda histórica é explicada sobretudo pela contribuição da sócia japonesa Nissan, da qual a Renault tem 43%: penalizou o grupo francês em 4,9 bilhões de euros (5,9 bilhões de dólares)

A montadora francesa Renault registrou um prejuízo histórico de 8 bilhões de euros (9,6 bilhões de dólares) em 2020, ano marcado pela crise do coronavírus, de acordo com resultados publicados nesta sexta-feira.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor 

A queda histórica é explicada sobretudo pela contribuição da sócia japonesa Nissan, da qual a Renault tem 43%: penalizou o grupo francês em 4,9 bilhões de euros (5,9 bilhões de dólares).

A Renault também registrou uma queda de 21,3% nas vendas em ritmo anual, com menos de três milhões de veículos vendidos, em um mercado automobilístico em colapso.

No primeiro semestre, o grupo registrou perdas de 7,3 bilhões de euros (8,8 bilhões de dólares) no contexto da crise de covid-19. Mas limitou os danos no segundo semestre com um prejuízo de 660 milhões de euros (quase 800 milhões de dólares) e uma queda de 8,9% no volume de negócios de 8,9%.

"O ano de 2021 será difícil, com a incerteza ligada à crise de saúde e também ao fornecimento de componentes eletrônicos", afirmou o CEO da Renault, Luca de Meo, citado em um comunicado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.