Picape Badger é a mais tecnológica do mundo, diz fundador da Nikola Motor

Em entrevista à EXAME, o bilionário e presidente do conselho da empresa Trevor Milton falou sobre o veículo, movido a hidrogênio, e dos planos da marca

A indústria automotiva é centenária, mas são as novatas que estão ganhando todos os holofotes. Após a Tesla ter se tornado a montadora com o maior valor de mercado do mundo, agora é a vez da Nikola Motor, que acaba de lançar a picape Badger, movida a células de hidrogênio. Com a novidade, a Nikola já vale mais do que montadoras tradicionais como Fiat Chrysler e Renault.

“A Badger é provavelmente a picape mais avançada do mundo em termos de tecnologia, estamos muito confiantes de que este será o melhor ano na história da Nikola”, afirma Milton Trevor, fundador e presidente do conselho de administração da empresa, à EXAME, em sua primeira entrevista a um veículo de imprensa brasileiro.

Para reservar o modelo, a montadora exigiu um depósito de 5.000 dólares, que será descontado do valor final da compra e dará direito ao evento exclusivo da Badger.

A montadora com sede no Arizona, Estados Unidos, é alvo de inúmeras críticas. Uma delas é justamente sobre a Badger que, por ora, só está acessível “virtualmente” ao público. Além disso, a Nikola não produz os veículos sozinha. No segmento de caminhões, tem parcerias com empresas como Iveco e Bosch.

No caso da Badger, a identidade da parceira ainda está sob sigilo. “As críticas trazem as pessoas para perto e, quando elas conhecem a empresa, passam a acreditar na Nikola. As críticas equilibram o mercado”, diz Milton. 

A venda da Badger, assim como dos caminhões da marca, não será feita por rede própria. Segundo o executivo, a estratégia inclui usar as concessionárias de uma montadora parceira. “As entregas vão começar muito mais rapidamente e vamos economizar bilhões de dólares.”

Ele afirma que a carteira de caminhões a ser entregues é de 14.000 unidades, com contratos grandes como o da AB InBev, dona de marcas como a Budweiser. “Os caminhões são nosso negócio, mas a picape trará para mais perto os nossos investidores.”

Ambições

A Nikola foi fundada em 2015 e o nome é uma homenagem ao inventor sérvio Nikola Tesla, que entre muitas contribuições desenvolveu a corrente alternada. Até isso gera críticas à empresa, pois lembra a sua rival. 

Tesla e Nikola são duas das empresas mais inovadoras do mundo e esta é uma forma de prestar homenagem ao homem que realizou um grande serviço à humanidade”, diz Milton.

O jovem executivo ganhou ainda mais destaque nos últimos meses por figurar na lista dos bilionários que mais aumentaram a sua fortuna durante a pandemia – grande parte em função da valorização da Nikola. 

No entanto, seus bens não vêm de berço. De uma família de cinco irmãos, Milton chegou a morar no Brasil por quase dois anos, fazendo trabalho voluntário na região da Baixada Santista e no ABC Paulista. Ele até arrisca algumas palavras em português, uma vez que sua passagem pelo país foi há mais de 20 anos.

“O Brasil é parte importante da minha história. Foi uma experiência valiosa, que influenciou muito as minhas decisões sobre o que eu queria fazer na vida.”

De volta a sua terra natal, alguns anos depois ele fundou um comércio eletrônico nos moldes da Amazon, que não deu certo. Depois ergueu duas empresas no ramo de controle e transformação de motores para gás natural. Uma delas acabou alvo de aquisição. Foi só então que ele chegou à Nikola.

Atualmente, a companhia vale cerca de 23 bilhões de dólares na bolsa americana Nasdaq. Frequentemente, a Nikola é comparada à Tesla. “Sabemos da importância das parcerias. Diferentemente da Tesla, não queremos fazer tudo sozinhos”, diz Milton. “Essa é uma das razões pelas quais nossas ações estão indo tão bem.”

Embora o mercado venha aumentando a cobrança acerca das entregas da montadora, que ainda não aconteceram, o executivo não perde o tom de otimismo. “Temos um futuro incrível pela frente. A Nikola vai ser uma das maiores empresas do mundo.” 

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.