Negócios
Acompanhe:

Peugeot-Citröen quer investir R$ 3,7 bilhões no Brasil

Empresa quer elevar a participação de mercado no país para 7%

O investimento é parte da estratégia de focar o crescimento nos mercados emergentes (Divulgação)

O investimento é parte da estratégia de focar o crescimento nos mercados emergentes (Divulgação)

D
Da Redação

24 de novembro de 2011, 13h41

São Paulo - A montadora francesa Peugeot-Citröen informou que planeja investir R$ 3,7 bilhões no Brasil até 2015 com o objetivo de elevar sua participação no mercado brasileiro para 7% naquele ano, dos 5,2% de hoje. O investimento é parte da estratégia de focar o crescimento nos mercados emergentes diante da estagnação da Europa.

"Os mercados emergentes se tornaram essenciais para as montadoras", afirmou o executivo-chefe da Peugeot-Citröen, Philippe Varin, durante a reunião anual da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). "Há um grande potencial para crescimento, o que garante um lugar para o Brasil na Peugeot Citröen", acrescentou.

A companhia pretende obter metade de sua receita nos mercados emergentes em 2015, acima dos 39% deste ano, disse ele. Além do Brasil, a Peugeot-Citröen vai se concentrar na China e em outros países asiáticos que, segundo Varin, serão responsáveis por 60% das vendas adicionais de veículos durante a próxima década. Na China, o executivo disse que quer dobrar a participação de mercado até 2020.

Boa parte do investimento no Brasil irá para a duplicação da capacidade da fábrica da montadora de Porto Real (RJ). A unidade vai produzir 300 mil veículos por ano, ante 150 mil atualmente, e aumentará a produção de motores para 400 mil por ano, de 280 mil agora, afirmou Varin. Perguntado sobre relatos de que eles planejam construir o DS3 no Brasil, Varin disse que eles querem vender o veículo no País, mas não têm planos para construí-lo localmente. As informações são da Dow Jones.