Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Petrobras discute possível "fatiamento" da BR Distribuidora

Conselho da Petrobras discute hoje possibilidade de desmembrar a BR Distribuidora para vender participação

Rio - O conselho de administração da Petrobras avalia nesta sexta-feira, 22, uma proposta para redesenhar a venda da BR Distribuidora, subsidiária de revenda de combustíveis da estatal.

Considerada a "joia da coroa" no portfólio da petroleira, a BR poderia se tornar uma holding com diferentes participações da estatal nas áreas de negócio.

Segundo fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, o objetivo seria a atração de investidores privados para cada segmento.

A proposta prevê a gestão separada para cada área de negócios, com diferentes composições de capital. O modelo poderia atrair como investidores desde redes varejistas a empresas de energia, combustíveis e bancos - algumas já teriam sinalizado interesse.

A divisão em estudo contemplaria a rede de mais de 7 mil postos de combustíveis, lojas de conveniência, serviços de aviação, lubrificantes e serviços financeiros.

A área financeira é considerada um dos negócios mais atrativos por abarcar diferentes operações e representar parte significativa do faturamento da BR.

Desde 2008, a subsidiária administra uma bandeira própria de cartão de crédito em parceria com o Banco do Brasil. A empresa também opera uma rede própria de transmissão de dados - negócio hoje alvo de investigação interna.

A Petrobras não comenta informações sobre o novo modelo de venda, mas confirma que o tema será debatido pelo conselho de administração. Segundo as fontes, a proposta teria sido desenhada pelo diretor financeiro, Ivan Monteiro.

O modelo de referência seria a reestruturação da área de seguros do Banco do Brasil, em 2013.

Inicialmente, a ideia da Petrobras era vender uma fatia minoritária da BR. Com a chegada de Pedro Parente à presidência da estatal, o leque de possibilidades está sendo aberto, incluindo o controle compartilhado de ativos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também