Petrobras aguarda notificação sobre substituição de indicação de Landim

Desistência do executivo em assumir o Conselho de Administração da estatal foi anunciada oficialmente pelo MME em seu site, no início da tarde de domingo
 (Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)
(Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)
Por Agência O GloboPublicado em 04/04/2022 09:56 | Última atualização em 04/04/2022 09:56Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Petrobras informou que até o momento não recebeu notificação do Ministério das Minas e Energia (MME) sobre a desistência de Rodolfo Landim ao cargo de presidente do Conselho de Administração da estatal. A assembleia para eleger os novos nomes do Conselho está marcada para o próximo dia 13 de abril.

A notícia sobre a renúncia de Landim foi anunciada oficialmente ontem pelo MME em seu site às 13h19 de domingo. Horas antes, ainda na madrugada, Landim publicou carta no site do Clube de Regatas do Flamengo, em que informava ter desistido de ter um cargo na Petrobras.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Segundo fontes, o nome de Landim recebeu parecer contrário e com ressalvas entre os integrantes do chamado Comitê de Pessoas da Petrobras, que avalia as indicações para o Conselho da empresa.

Uma outra fonte destacou que a demora em sair o relatório com a análise do nome "pode sinalizar que ele teria um veto insuperável" na assembleia.

Essa é mais uma polêmica envolvendo a estatal, que teve seu atual presidente Joaquim Silva e Luna demitido pelo presidente Jair Bolsonaro. Adriano Pires foi anunciado como novo presidente.

Landim é alvo de um processo do Ministério Público Federal por crime de gestão fraudulenta que teria causado prejuízo de R$ 100 milhões a fundos de pensão de funcionários da Petrobras, a Petros, do Banco do Brasil, a Previ, e da Caixa, a Funcef.

O governo pode apresentar outro nome até o próprio dia da assembleia. A avaliação do Comitê de Pessoas seria, então, feita depois da votação. Caso os nomes sejam aprovados, no entanto, eles só tomarão posse depois de todas as questões de conformidade terem sido aprovadas.