Perdigão encerra 2020 com liderança em industrializados de carnes

A controlada da BRF atingiu 23,2% do share nacional em industrializados de carne, o que incluiu frios e embutidos
Perdigão: os bons resultados são reforçados pela BRF, que em dezembro de 2020 se comprometeu a triplicar de tamanho, superando os R$ 100 bilhões em receita anual (Alexandre Battibugli/Exame)
Perdigão: os bons resultados são reforçados pela BRF, que em dezembro de 2020 se comprometeu a triplicar de tamanho, superando os R$ 100 bilhões em receita anual (Alexandre Battibugli/Exame)
D
Da Redação

Publicado em 05/03/2021 às 13:41.

Última atualização em 05/03/2021 às 16:36.

A Perdigão registrou resultados positivos em 2020 garantindo a liderança em industrializados de carne, o que incluiu frios e embutidos, que atingiram 23,2% de share valor e 24,3% em volume. Os dados são da Nielsen.

A Perdigão também recebeu o reconhecimento do público, sendo eleita pelo Latam Thermometer 2020, da Kantar, como a marca que mais ganhou novos consumidores no ano passado, demonstrando crescimento mesmo durante a pandemia, alcançou ao todo mais de 5 milhões de novos clientes.

“No último ano, investimos em um hub de receitas onde nossos consumidores compartilharam conosco suas dicas e ideias, além de lançarmos um convite para que todos continuassem a comer junto, mas agora de um jeito diferente: conectados. Também ampliamos nosso portfólio com produtos saborosos, práticos e com qualidade pela qual Perdigão é reconhecida”, diz Luciana Bulau, gerente executiva da marca.

s bons resultados são reforçados pela BRF, que em dezembro de 2020 se comprometeu a triplicar de tamanho, superando os R$ 100 bilhões em receita anual.

"Mesmo com todas as dificuldades de um ano atípico, Perdigão demonstrou sua excelência operacional e os fortes laços de confiança que mantém com os clientes. Os números apresentados são fruto de um trabalho consistente de aumento da produtividade, inovação e disciplina financeira”, ressalta Marcelo Suárez, diretor de marketing das marcas BRF.

BRF encerrou 2020 com um lucro líquido de 1,4 bilhão de reais, EBITDA ajustado de 5,2 bilhões de reais e receita de 39 bilhões. Em 2019, a receita havia sido de 33 bilhões.