Negócios

Os motivos porque tantas empresas familiares fracassam

Segundo levantamento da Strategos Consultoria, 80% delas não investem em planejamento estratégico e processos de sucessão, por exemplo


	Processos de sucessão: para Telmo Schoeler, da Strategos Consultoria, este é um dos pontos mais críticos
 (Franscisco Martins/Exame)

Processos de sucessão: para Telmo Schoeler, da Strategos Consultoria, este é um dos pontos mais críticos (Franscisco Martins/Exame)

Luísa Melo

Luísa Melo

Publicado em 14 de junho de 2016 às 17h08.

São Paulo - A ausência de um planejamento estratégico e de um processo de sucessão bem definido são alguns dos motivos por que muitas empresas familiares fracassam.

Segundo levantamento da Strategos Consultoria, 80% das companhias administradas por herdeiros não investem nessas ferramentas.

Pesam ainda a falta de um objetivo de longo prazo e de uma gestão profissionalizada, a resistência em mudar e também a confusão entre os interesses corporativos e os da família.

"Estes são os fatores que justificam a taxa de mortalidade das empresas familiares. Cerca de 70% não sobrevivem à segunda geração. Apenas 10% passam para a terceira e 3% para a quarta”, afirma o sócio fundador da Strategos Consultoria Empresarial, Telmo Schoeler.

Segundo ele, um dos pontos mais críticos é a não preparação de sucessores para comandar o negócio.

"Esta é, por si só, a principal razão do desaparecimento precoce das empresas familiares, pois o problema da sucessão se manifesta pelo fato de que a maioria não suporta pensar na finitude da vida”, diz.

A consultoria compilou dados de 90 organizações, a maioria de médio porte, com as quais trabalhou nos últimos 22 anos.

Abaixo, veja o grau de amadurecimento das iniciativas citadas acima nas companhias analisadas.

//e.infogr.am/745f4d06-4505-4dd1-aced-3af6b12bb1a8?src=embed

Acompanhe tudo sobre:ConsultoriasEmpresas familiaresgestao-de-negociosServiços

Mais de Negócios

Adeus, CLT? Franquia é modelo de negócio ideal para quem vai começar a empreender, diz especialista

Papo de Empreendedores: conectividade, empreendedorismo e energia embalam painéis para PMEs; assista

Faturamento das PMEs cresce 5,2% no segundo trimestre

Fintech de música, Strm capta R$ 35 milhões e atrai dupla sertaneja Henrique e Juliano em rodada

Mais na Exame