Oferta da KKR pela Telecom Itália enfrenta oposição da Vivendi

Os membros do conselho da Telecom Itália convocaram uma nova reunião para discutir as estratégias da empresa em 26 de novembro
O acordo, se bem-sucedido, seria uma das maiores transações do mercado de telecomunicações neste ano (Stefano Rellandini/File Photo/Reuters)
O acordo, se bem-sucedido, seria uma das maiores transações do mercado de telecomunicações neste ano (Stefano Rellandini/File Photo/Reuters)
B
Bloomberg

Publicado em 22/11/2021 às 20:13.

Última atualização em 22/11/2021 às 20:14.

A KKR & Co. se prepara para uma batalha pelo controle da maior operadora de telecomunicações da Itália com uma oferta de 10,8 bilhões de euros (US$ 12,2 bilhões), o que coloca a empresa de private equity americana em uma disputa com a francesa Vivendi.

Com o sobe e desce do mercado, seu dinheiro não pode ficar exposto. Aprenda como investir melhor.

É provável que a Vivendi, maior acionista da Telecom Itália, bloqueie a oferta de 50,5 centavos de euro por ação da KKR, que considera muito baixa, segundo pessoas com conhecimento direto da situação.

A empresa francesa, controlada pelo bilionário Vincent Bollore, vai partir para a ofensiva ao tentar destituir o CEO da Telecom Itália, Luigi Gubitosi, em reunião do conselho esta semana. A Vivendi suspeita que a KKR pode ter sido convidada por Gubitosi, com quem o grupo francês entrou em conflito repetidamente, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas.

O acordo, se bem-sucedido, seria uma das maiores transações do mercado de telecomunicações neste ano e estaria entre as maiores aquisições já feitas no setor europeu por uma empresa de private equity. A KKR é atraída pela rede fixa da Telecom Itália, que o antigo monopólio gradualmente modernizou com fibra de alta velocidade.

Mas a estratégia de Gubitosi para impulsionar os serviços premium não conseguiu reverter a queda das ações da Telecom Itália, e o executivo está sob crescente pressão da Vivendi para acelerar uma retomada desde que enviou um surpreendente alerta sobre os lucros no mês passado.

O comitê de nomeação interno da empresa italiana contratou a empresa de recrutamento de executivos Spencer Stuart em busca de possíveis candidatos para substituir Gubitosi e outros gerentes do alto escalão da Telecom Itália, com o objetivo de elaborar um plano de sucessão que possa agradar a todos os acionistas, incluindo a Vivendi, disseram pessoas a par da situação.

Oferta preliminar

A oferta preliminar em dinheiro da KKR, anunciada no fim de semana, é “não vinculante e indicativa”, disse o conselho da Telecom Itália em comunicado no domingo após reunião para considerar a proposta.

Os membros do conselho da Telecom Itália convocaram uma nova reunião para discutir as estratégias da empresa em 26 de novembro, disseram pessoas a par do assunto. Na reunião, a Vivendi poderia buscar substituir Gubitosi, disseram as pessoas.

O CEO da Tim Brasil, Pietro Labriola, é visto como possível candidato, assim como o diretor de Receita, Stefano Siragusa, de acordo com as fontes. Candidatos externos incluem Aldo Bisio, que comanda a unidade italiana da Vodafone.

Labriola, Bisio e Siragusa não puderam retornar de imediato para comentários. Um representante da Vodafone não quis comentar.

Um porta-voz da Vivendi em Paris reiterou que a empresa é e sempre foi uma acionista de longo prazo da Telecom Itália e que continuará trabalhando em estreita colaboração com as autoridades italianas para garantir o êxito do grupo. O representante não quis fazer outros comentários sobre a oferta.