O que querem os empresários brasileiros com as próximas eleições? Esta pesquisa mostra

Em pesquisa da Confederação Nacional da Indústria, empresários listaram prioridades e pautas mais relevantes para os próximos governantes
Eleições e empresariado: pesquisa indica temas considerados prioritários para empresários brasileiros para o próximo governante (Lim Weixiang - Zeitgeist Photos/Getty Images)
Eleições e empresariado: pesquisa indica temas considerados prioritários para empresários brasileiros para o próximo governante (Lim Weixiang - Zeitgeist Photos/Getty Images)
M
Maria Clara DiasPublicado em 15/09/2022 às 00:01.

Uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) elencou as principais prioridades de empresários para os próximos quatro anos e as pautas mais urgentes para governantes que pretendem estimular a geração de empregos e o bom desempenho do empresariado.

Para chegar aos destaques, a CNI, por meio do Instituto FSB Pesquisa, ouviu 1.000 empresários de companhias de pequenas, médias e grandes empresas. As respostas foram colhidas entre os dias 10 e 24 de agosto deste ano.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

O que querem os empresários

Durante a pesquisa, os participantes foram estimulados a escolher abertamente duas ações que acreditam ser prioridade para o próximo governo no que diz respeito à geração de empregos. A maioria dos empresários brasileiros (56%) acredita que a medida mais importante é realizar a Reforma Tributária. O tema foi o mais apontado tanto como primeira, quanto segunda ação prioritária.

A justificativa para isso está no modelo complexo e ineficiente de cobrança de impostos. Segundo os entrevistados, o sistema atual freia o crescimento da economia, enquanto os altos tributos e a falta de qualificação profissional também são gargalos para ampliar as oportunidades de trabalho no país. Diante disso, a redução dos impostos sobre a folha de pagamento (48%) e a necessidade de fortalecer a capacitação profissional (35%) são outros temas.

LEIA TAMBÉM: Eleição presidente: onde estão os eleitores indecisos que podem definir a votação

"Há uma expectativa dos empresários industriais em relação à prioridade que será dada ao tema (reforma tributária) no próximo governo. Aprovar a Reforma Tributária, com adoção de um sistema de tributação do consumo que seja mais moderno, eficiente e alinhado ao padrão mundial, é um passo fundamental para aumentar a competitividade das empresas e, assim, acelerar o ritmo de crescimento da economia, gerando mais empregos e renda para os brasileiros”, afirma o gerente de análise econômica da CNI, Marcelo Azevedo.

Assunto mais importantes

O levantamento também buscou entender quais pautas esses empresários percebem como prioritárias para o próximo presidente eleito, de maneira geral. Os assuntos de destaque foram:

  • educação (34%)
  • saúde pública (26%)
  • crescimento econômico (20%)
  • redução de impostos (14%)
  • geração de emprego (12%)
  • apoio aos empresários (11%)
  • reforma tributária (11%)

A análise, segundo a CNI, é de que os empresários reconhecem a relevância da formação dos jovens brasileiros para o crescimento da indústria e para o desenvolvimento do país. O tema foi o mais citado pelos empresários — um em cada três entrevistados acredita que a educação deve ser a principal prioridade do presidente eleito nos próximos quatro anos.

"A educação de qualidade em todos os níveis é um dos pilares fundamentais para a construção da cidadania e da prosperidade das nações. Só com educação de qualidade vamos preparar pessoas capazes de interpretar os avanços tecnológicos e propor soluções inovadoras”, diz Robson Braga de Andrade, presidente da CNI.

Como ações para melhorar as condições de cada um desses pontos, os entrevistados destacam, por exemplo, a melhoria de hospitais, a capacitação e aumento salarial de professores e incentivo ao ensino ténico e profissionalizante.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa eleitoral: diferença entre Lula e Bolsonaro é de 6 pontos, a menor da série, diz BTG/FSB

“A pesquisa mostra que há uma demanda do setor empresarial por maior investimento no ensino técnico, que está mais alinhado às necessidades do mercado de trabalho. Outro ponto é a preocupação dos executivos com a qualidade do ensino. Diante de uma indústria cada vez mais tecnológica, o ensino precisa acompanhar as habilidades exigidas pelas empresas”, diz Azevedo.

Expectativas para o futuro

A pesquisa também sondou as perspectivas de empresários em relação ao futuro da economia e de suas próprias empresas nos próximos anos.

De maneira otimista, sete em cada 10 empresários esperam anos positivos daqui para frente. Um percentual ainda maior do total de respodentes (77%) está otimista com o futuro da indústria brasileira, enquanto 8&% estão otimistas com o futuro da própria empresa.

Sobre a economia do país, 69% disseram que deve melhorar um pouco ou muito nos próximos quatro anos