Nippon Steel tem queda de 13% no lucro do ano fiscal

Terceira maior produtora de aço do mundo afirmou que o lucro recorrente caiu para 174,5 bilhões de ienes (1,6 bilhão de dólares)

Tóquio - A Nippon Steel & Sumitomo Metal, maior produtora de aço do Japão, afirmou que o lucro recorrente do ano encerrado em março caiu 13 por cento, pressionado por custos maiores com carvão e evitou divulgar previsões de resultado para o atual ano fiscal citando volatilidade dos preços do carvão e preços da liga.

A terceira maior produtora de aço do mundo afirmou que o lucro recorrente caiu para 174,5 bilhões de ienes (1,6 bilhão de dólares) ante 200,9 bilhões de ienes registrados no ano fiscal passado.

O resultado superou estimativa da empresa de lucro de 130 bilhões de ienes e média de previsões de analistas de 145,9 bilhões.

"Não podemos fazer uma previsão razoável uma vez que não está claro para onde os preços do carvão e do aço estão indo", disse o vice-presidente executivo da Nippon Steel, Toshiharu Sakae, a jornalistas.

O executivo, porém, afirmou que demanda estável por aço, planos de cortes de custos de mais de 50 bilhões de ienes e aumentos de preços de alguns produtos siderúrgicos em cerca de 5.000 ienes por tonelada ajudarão a minimizar custos maiores com matérias-primas.

Os preços do carvão têm se mostrado voláteis, quase quadruplicando entre março e novembro de 2016. Porém, depois disso o preço caiu pela metade entre novembro e o fim de março deste ano.

Além disso, no mês passado o ciclone Debbie atingiu a Austrália, interrompendo ferrovias na maior região exportadora de carvão do mundo e levando os preços do insumo para o alto de novo.

Na quinta-feira, a segunda maior produtora de aço do Japão, JFE Holdings, divulgou alta no lucro recorrente do ano fiscal encerrado em março, impulsionada por ganhos gerados por estoques de carvão.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.