Negócios

Nestlé, Unilever e Tyson se juntam à IBM em projeto de blockchain

O blockchain é um registro compartilhado de dados mantidos por uma rede de computadores, em vez de um terceiro confiável

IBM: um total de 10 empresas disseram que vão compartilhar dados e executar ensaios com a IBM (foto/Getty Images)

IBM: um total de 10 empresas disseram que vão compartilhar dados e executar ensaios com a IBM (foto/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 22 de agosto de 2017 às 15h59.

Chicago/Nova York - Nestle, Unilever, Tyson Foods e outras grandes companhias de alimentos se juntaram a um projeto da IBM para explorar como a tecnologia blockchain pode ajudar a rastrear as cadeias de fornecimento de alimentos e melhorar a segurança, disseram as empresas em nesta terça-feira.

O blockchain, que surgiu pela primeiramente como o sistema que suporta a criptomoeda bitcoin, é um registro compartilhado de dados mantidos por uma rede de computadores, em vez de um terceiro confiável.

Um total de 10 empresas disseram que vão compartilhar dados e executar ensaios com a IBM, incluindo Kroger, Dole Food , McCormick, Golden State Foods, Driscoll's e a McLane, da Berkshire Hathaway.

O Wal Mart também participa e trabalhou com a IBM desde outubro para rastrear o movimento de produtos alimentares.

Como a blockchain pode rastrear rapidamente centenas de partes envolvidas na produção e distribuição de alimentos em massa, espera-se que ela facilite a identificação de fontes de potenciais contaminações durante períodos de preocupação com a segurança alimentar.

Os céticos advertem que a tecnologia ainda é incipiente e pode demorar anos antes que as empresas colherem benefícios.

Os varejistas também são ferozmente competitivos e têm um histórico de colaboração fraco, como no caso do desaparecimento do aplicativo de pagamento móvel CurrentC, outro empreendimento altamente antecipado da indústria.

A IBM também disse que estava lançando uma plataforma blockchain que poderá facilitar o desenvolvimento de aplicativos por grandes empresas usando a tecnologia.

Acompanhe tudo sobre:BlockchainIBMNestléTyson FoodsUnileverVarejo

Mais de Negócios

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Apoio Financeiro no RS: prazo para adesão ao termina nesta sexta-feira; saiba como se inscrever

Com nova fábrica, Gelato Borelli vai triplicar produção e planeja faturar R$ 360 milhões em 2024

Mais na Exame