Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Nem todo reajuste de combustível tem a ver com a Petrobras, diz presidente

Em audiência no Senado, Joaquim Silva e Luna afirma que dos 15 reajustes neste ano, houve 38 reflexos ao consumidor

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, negou nesta terça-feira que a estatal seja culpada pelo aumento da gasolina. Segundo ele, empresa fez 15 reajustes em 2021, mas foram contabilizados 38 reflexos ao consumidor. Ele destacou que a empresa pratica preço de mercado

— Nem todos reajustes que aparecem na bomba de combustíveis tem a ver com a Petrobras – firmou Silva e Lula —em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE).

O presidente da Petrobras apresentou uma tabela afirmando também que, na formação dos preços, a Petrobras teve parcela de R$ 0,99, mas na bomba o valor chegou R$ 2,24 a mais aos consumidores. Os dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), segundo ele, consideraram apenas os valores superiores a um centavo.

De acordo com a ANP, o valor médio do litro da gasolina no país passou de R$ 6,753 para R$ 6,752, nas últimas duas semanas. No ano, o avanço do preço médio chega a 50%.

Na audiência, o presidente da Petrobras chegou a dizer que a estatal ficou sem reajustar o GLP, o gás de cozinha, por 92 dias, 85 dias sem alterar o preço do diesel e 56 o da gasolina. Ele foi interrompido pelo senador Omar Aziz (PSD-AM)

— O salário do trabalhador brasileiro não é alterado em 90 dias, como é alterado o preço dos combustíveis hoje quase que diariamente. É porque se fala como uma ênfase, como se fosse algo sobrenatural. Noventa dias é uma brincadeira como se tivesse fazendo um grande favor aos brasileiros — disse Aziz.

Para o período entre os dias 14 e 20 de novembro, o preço médio do diesel se manteve estável, em R$ 5,356 por litro. No ano, o aumento chega a 48,5%.

No GLP, o gás de botijão também teve um leve recuo, passando de R$ 102,52 para R$ 102,27. Desde janeiro, a alta é de 37,1%.

Na audiência, Luna e Silva defendeu que a estatal não é um monopólio.

A Petrobras tem que atuar como empresa privada, tem que praticar preço de mercado, a aplicação artificial de políticas públicas só pode ocorrer mediante prévio contrato com acionista controlador… no caso de acontecer, a Petrobras tem que ser ressarcida – explicou o presidente, lembrando que isso ocorreu no governo de Michel Temer.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também