Em meio à polêmica Trump versus TikTok, Musk diz que a China “arrasa”

Fundador da Tesla diz que os Estados Unidos se acostumaram a vencer e, por isso, começam a perder. Declaração ocorre em meio à negociação de TikTok

O bilionário Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, lamentou o caráter "privilegiado" e "complacente" das pessoas nos Estados Unidos e elogiou o "inteligente" e "trabalhador" da China, na primeira parte de uma entrevista em três partes ao podcast “Daily Drive”, do site Automotive News, publicada na sexta-feira (31).

As declarações de Musk foram feitas em meio à polêmica do presidente Donald Trump ter anunciado na sexta-feira (31) que irá proibir a rede social TikTok nos Estados Unidos, após autoridades americanas mostrarem preocupação com a possibilidade da plataforma ser usada como ferramenta da inteligência chinesa.

“A China arrasa na minha opinião. A energia na China é ótima. Existem pessoas lá muitas inteligentes e trabalhadoras. E elas realmente são, pois não se sentem merecedoras de privilégios e não são complacentes, enquanto eu vejo nos Estados Unidos cada vez mais complacência e esse sentimento de que as pessoas merecem um tratamento especial, sobretudo, em lugares como na região de São Francisco, Los Angeles e Nova York”, disse Musk.

Musk criticou especificamente os estados de Nova York e Califórnia, que apoiaram negócios da Tesla com consideráveis ​​incentivos fiscais e créditos regulatórios para a instalação de unidades da empresa.

"Quando você está ganhando há muito tempo, meio que dá como garantido que vai continuar assim. Nos Estados Unidos, e especialmente na Califórnia e em Nova York, você ganha há muito tempo. Assim, como qualquer equipe profissional de esportes, eles vencem um campeonato por várias vezes seguidas, ficam complacentes e começam a perder”, disse.

A Tesla tem expandido seus negócios na China. Funcionários do governo chinês ajudaram a Tesla a obter empréstimos no valor de 1,6 bilhão de dólares para construir e começar a fabricar veículos na nova fábrica de Xangai da empresa, inaugurada em outubro do ano passado.

O governo de Xangai também ajudou a Tesla a voltar às operações normais rapidamente depois que a região foi atingida pelo surto de Covid-19, onde as atividades da fábrica foram suspensas temporariamente.

Musk disse que a Tesla não recebeu tratamento preferencial do governo na China em relação às empresas domésticas. “Eles apoiaram. Mas seria estranho se eles ajudassem mais uma empresa não chinesa", disse ele.

O bilionário tem sem metido em diversas polêmicas em redes sociais. No dia 25 de julho, Musk reagiu a um seguidor do Twitter sobre suposto apoio à derrubada de Evo Morales, ex-presidente da Bolívia, para garantir o suprimento de lítio para carros elétricos. “Vamos dar um golpe em quem quisermos! Lide com isso”.

Também em um tweet da semana passada, Musk zombou dos programas de assistência social em geral e do livro "O Capital", de Karl Marx, que critica o capitalismo.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.