Mercado Livre capta R$1,07 bi com fundo de recebíveis para capital de giro

Segundo a companhia, a distribuição das cotas terá prazo total de 30 meses com amortização nos últimos 3 meses
Mercado Livre: a operação acontece cerca de dois meses após o Mercado Livre ter obtido do Banco Central a licença de instituição financeira (Mercado Livre/Divulgação)
Mercado Livre: a operação acontece cerca de dois meses após o Mercado Livre ter obtido do Banco Central a licença de instituição financeira (Mercado Livre/Divulgação)
Por ReutersPublicado em 08/01/2021 16:02 | Última atualização em 08/01/2021 16:02Tempo de Leitura: 1 min de leitura

O portal de comércio eletrônico Mercado Livre anunciou nesta sexta-feira que concluiu a estruturação de um fundo de direitos creditórios (FIDC) de 1,07 bilhão de reais para antecipação de recebíveis de cartão de crédito.

Segundo a companhia, a distribuição das cotas terá prazo total de 30 meses com amortização nos últimos 3 meses. A operação foi coordenada pela XP e pelo Itaú BBA e a gestão do fundo será do Brasil Plural. A taxa negociada das cotas foi de DI+1,75% ao ano.

"Nosso objetivo é diversificar as fontes de financiamento para ampliar e facilitar a oferta de capital de giro aos vendedores", disse em nota o diretor financeiro do Mercado Livre no Brasil, Tiago Azevedo.

A operação acontece cerca de dois meses após o Mercado Livre ter obtido do Banco Central a licença de instituição financeira, o que deve dar maior flexibilidade para o grupo ter produtos próprios, em complemento ao seu braço financeiro Mercado Pago.