Negócios
Acompanhe:

LLX ganha incentivo fiscal de R$ 70 milhões no Superporto Sudeste

Empresa foi aprovada pela Receita Federal para regime de incentivo tributário

LLX, de Eike Batista: incentivo fiscal para melhoria de portos (.)

LLX, de Eike Batista: incentivo fiscal para melhoria de portos (.)

M
Marcio Orsolini

10 de outubro de 2010, 03h41

São Paulo - A LLX, braço de logísitca do Grupo EBX controlado por Eike Batista, informou nesta quinta-feira (26/8) sua aprovação pela Receita Federal da habilitação do Superporto Sudeste, subsidiária da companhia, no Regime Tributário de Incentivo à Modernização e à Ampliação da Estrutura Portuária (Reporto).

Com a aprovação, o Superporto poderá realizar aquisições de máquinas e equipamentos nos mercados interno e externo com a suspensão de tributos. A empresa estima que esses benefícios fiscais serão de 70 milhões de reais.

"O Superporto Sudeste, cujas obras estão avançando em ritmo acelerado, estará comprando os seus equipamentos operacionais com os benefícios do REPORTO e deverá carregar o seu primeiro navio de minério de ferro no início de 2012", afirmou em comunicado Otavio Lazcano, diretor-presidente da LLX. "Com isso estará inaugurado um novo corredor para o escoamento do minério de ferro produzido pela MMX Sudeste e por outras mineradoras do Quadrilátero Ferrífero e que poderá ser expandido para uma capacidade de 100 milhões de toneladas por ano."

Leia mais notícias sobre LLX

Siga as notícias do site EXAME sobre Negócios no Twitter