Negócios
Acompanhe:

Líder da AB InBev na América da Norte é cotado para suceder Carlos Brito

Conselho da maior cervejaria do mundo pretende anunciar a mudança de CEO nas próximas semanas. Troca marcaria o fim de um reinado de quase duas décadas do executivo brasileiro

 (Francois Lenoir/Reuters)

(Francois Lenoir/Reuters)

B
Bloomberg News

Publicado em 28 de fevereiro de 2021, 10h24.

Última atualização em 1 de março de 2021, 07h35.

O presidente da Anheuser-Busch InBev na América do Norte, Michel Doukeris, é cotado como o favorito para substituir Carlos Brito no comando da cervejaria, segundo pessoas a par do assunto.

O que os empreendedores de sucesso têm em comum? Inovação será a chave de 2021. Fique por dentro em nosso curso exclusivo

O conselho pretende anunciar a mudança na liderança nas próximas semanas, antes da assembleia geral anual da empresa em abril, disseram as pessoas, que pediram anonimato. Uma decisão final ainda não foi tomada, mas o plano mais recente promoveria Doukeris ao cargo de CEO ainda neste ano, após um período de transição, disseram as pessoas.

Um representante da AB InBev não quis comentar.

A mudança no comando marcaria o fim de um reinado de quase duas décadas, durante o qual Brito expandiu a AB InBev por meio de uma série de aquisições até produzir cerca de um terço do volume mundial de cerveja. Durante a maior parte de sua carreira, Brito, de 60 anos, foi elogiado por conseguir aumentar o lucro em mercados estáveis ou em declínio em grande parte do mundo desenvolvido. No entanto, o persistente endividamento provou ser difícil de reduzir depois que a AB InBev fechou acordo para pagar mais de US$ 100 bilhões pela SABMiller em 2016.

Doukeris começou a trabalhar na AB InBev em 1996 e foi sendo promovido até liderar a unidade da empresa na China, um motor de crescimento importante, para depois comandar os negócios na Ásia-Pacífico e, em seguida, se tornar diretor de vendas. Doukeri agora comanda a região mais importante da fabricante da Stella Artois e que responde por quase 30% das vendas da empresa.

Em cada uma de suas funções, o executivo de 47 anos defendeu a inovação de produtos - como a Bud Light Seltzer, colocada à venda no ano passado - e o investimento em marketing por trás de marcas básicas como a Budweiser. Sob sua liderança, as vendas na divisão da América do Norte aumentaram pela primeira vez em seis anos.

Doukeris é brasileiro, como vários outros executivos do alto escalão e grandes acionistas, como o bilionário Jorge Paulo Lemann. Natural de Lages (Santa Catarina), estudou engenharia química na Universidade Federal de SC e fez MBA na Fundação Getúlio Vargas. Começou a carreira na Ambev em 1996.

A AB InBev contratou no ano passado a empresa de recrutamento de executivos Spencer Stuart para avaliar candidatos externos, segundo o Financial Times. No entanto, o conselho considera que um executivo interno está mais bem preparado para enfrentar os desafios e responsabilidades que virão com a liderança de uma reestruturação e que mantenha a cultura corporativa da cervejaria, disseram as pessoas.