Kroton diz ter RS 700 milhões para novas aquisições

Companhia tem espaço de endividamento para financiar aquisições até o final do próximo ano

São Paulo - O presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, disse nesta quarta-feira que a companhia conta com cerca de R$ 700 milhões em espaço de endividamento para financiar aquisições até o final do próximo ano.

Segundo ele, isso seria possível por meio do aumento da relação entre a dívida líquida e o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) para até 2,5 vezes, ante o patamar atual de 1,7 vez. "Considerando a geração de caixa até o final de 2013 e o espaço para o aumento da dívida, o limite de 2,5 vezes é razoável", disse o executivo após participar da cerimônia de migração das ações da empresa para o Novo Mercado.

Galindo acrescentou que "não estão nos planos" da empresa neste momento novas emissões de ações. Isso porque a companhia descarta aquisições que ultrapassem as metas de limite de endividamento.

"Apenas se tiver um ativo muito interessante, de grande porte, que passe esse limite (de endividamento), pode haver a necessidade de aumento de capital", ponderou. O endividamento líquido da companhia ao final do terceiro trimestre estava em cerca de R$ 300 milhões.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.