Japão suspende uso de vacinas da Pfizer e da Sanofi após mortes

Três das quatro crianças morreram um dia depois de serem vacinadas
Representantes da Pfizer e da Sanofi em Tóquio afirmaram que as empresas estavam cooperando com as investigações (Reprodução/Wikimedia Commons)
Representantes da Pfizer e da Sanofi em Tóquio afirmaram que as empresas estavam cooperando com as investigações (Reprodução/Wikimedia Commons)
J
James TophamPublicado em 09/03/2011 às 14:07.

Tóquio - O Ministério da Saúde do Japão interrompeu o uso de vacinas feitas pela Pfizer Inc e pela Sanofi-Aventis SA contra meningite e pneumonia após a morte de quatro crianças.

As crianças morreram pouco depois de tomar as vacinas e, embora não estivesse claro se havia uma ligação entre as mortes e as vacinas, o uso da Prevenar, da Pfizer, e da ActHIB, da Sanofi, será suspenso enquanto as mortes são investigadas, informou o ministério em um comunicado.

Um painel de segurança do ministério foi marcado para discutir os achados das investigações na terça-feira.

Em fevereiro do ano passado, as autoridades de saúde da Holanda disseram que não foi encontrada uma relação entre a Prevenar e a morte de três crianças que tomaram a vacina.

Três das crianças que morreram no Japão tomaram a Prevenar junto com a ActHIB. Além disso, três das crianças também tomaram uma vacina mista contra difteria, coqueluche e tétano no mesmo dia que tomaram as outras vacinas.

Três das quatro crianças morreram um dia depois de serem vacinadas. As mortes ocorreram entre 2 de março e 4 de março.

Representantes da Pfizer e da Sanofi em Tóquio afirmaram que as empresas estavam cooperando com as investigações.

Um porta-voz para a Sanofi disse que a companhia enviou mais de 3 milhões de doses da ActHIB para o Japão desde 2008. Um porta-voz da Pfizer informou que a empresa distribuiu mais de 2 milhões de doses da Prevenar no Japão desde o ano passado.